02/12/1997, 20:30

Empresas querem fugir da restrição à propriedade cruzada II

POR REDAÇÃO

As empresas garantem que, em cidades pequenas, com menos de 300 mil habitantes, fica inviável compensar perdas técnicas (como a decorrente da restrição). Por isso montam empresas de fachada, ou empresas em que aparecem com participação inferior a 5% das ações ordinárias e até 100% das preferenciais, o que também evita a restrição à propriedade cruzada. Em ambos os casos, não há nenhuma irregularidade, dizem as empresas, e as estruturas são compatíveis com o edital. O único risco fica por conta da opinião pública.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2018 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top