ESPECIAL REALIDADE VIRTUAL
05/03/2018, 22:25

JungleBee, produtora de realidade estendida, chega ao mercado

Nesta segunda-feira, 5 de março, foi lançada oficialmente a JungleBee, produtora de realidade estendida criada pelos sócios Marcos Nisti, Rawlinson Terrabuio e Tadeu Jungle que tem, como objetivo, criar conteúdo voltado para o mercado e para o público em geral.

No evento, os sócios explicaram que trata-se de um trabalho de realidade estendida, ou seja, que engloba as tecnologias de realidade virtual, aumentada e mista. Tadeu Jungle, da Academia de Filmes, norteou as apresentações, enfatizando que essa tecnologia está mais próxima do público do que pensamos. "Nossa produtora foi criada para dialogar com esse novo mundo e convidamos as marcas para vivenciarem com a gente essa nova fase", disse. Em vídeo promocional, eles afirmaram que a linguagem de comunicação que vai transformar o mundo como o conhecemos já está sendo muito utilizada mundo afora e, agora, as empresas brasileiras podem estar na vanguarda desse movimento.

O trio de sócios do investimento foi formado pensando em conjugar a expertise de todos, que atuam nas áreas de inovação audiovisual, tecnologia e produção de conteúdo. Marcos Nisti é empreendedor social e produtor de cinema e TV e, atualmente, ocupa o cargo de CEO do Instituto Alana, além de ser Conselheiro do Greenpeace e co-fundador da Maria Farinha Filmes, de produções documentais como "Tarja Branca" e "O Começo da Vida". Já Rawlinson Terrabuio é co-fundador e CEO da Beenoculus, empresa brasileira líder do mercado de soluções para realidade virtual na América Latina. Por fim, Tadeu Jungle é artista multimídia, com atuação nas áreas de fotografia, vídeo, instalações, poesia visual e Realidade Virtual. Jungle tornou-se nome de referência em eXtendend reality no Brasil com os lançamentos de "Rio de Lama", filme documentário que retrata a tragédia de Mariana, e "Fogo na Floresta, um dia na aldeia dos índios Waurá", ambos filmados em realidade virtual.

A produtora inicia seus trabalhos com clientes voltados à educação e meio-ambiente: Instituto Alana e Greenpeace, nos quais o sócio Marcos Nisti trabalha efetivamente. "A realidade estendida nos possibilita abrir a imaginação para novos negócios, novas profissões, novas formas de aprendizado, além de agir também como transformador social", explica. Mas a expectativa da JungleBee é alavancar os negócios e criar novos cenários também para o entretenimento, saúde, publicidade, comunicação entre outras áreas.

Por isso, a JungleBee vê nas agências, empresas e instituições do terceiro setor o principal canal para a produção de conteúdo, criando, co-criando e levando tanto os profissionais do mercado quanto o público a descobrirem esse novo universo. "Colaborar, compartilhar, cocriar. Vamos trabalhar com os clientes e não para os clientes.", é uma das premissas da produtora.

Jungle ainda afirmou que o momento é de "aprender, empreender e inovar", uma vez que nos próximos vinte anos enfrentaremos mais mudanças do que as presenciadas ao longo dos últimos três séculos, de acordo com informações do diretor.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2018 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top