Indenização
11/09/2015, 13:51

Anatel publica decisão sobre indenizações para o MMDS de R$ 312 milhões

A Anatel publicou, nesta sexta-feira, 11, as decisões que obrigam Vivo, TIM, Oi e Claro a ressarcirem os custos de remanejamento das operadoras de MMDS da faixa de 2,5 GHz, nos valores estabelecidos anteriormente pela agência, que somam mais de R$ 312 milhões. Com a decisão, não cabem mais recursos administrativos pelas prestadoras.

De acordo com o acórdão, a Vivo e a Claro terão que pagar R$ 104 milhões cada, e a TIM e a Oi, R$ 52 milhões cada. As decisões para a Claro e para a Oi, entretanto, só passarão a valer após o desaparecimento de óbices judiciais impostos por força de decisões proferidas nos autos de ações ordinárias interpostas pelas operadoras.

A agência ainda pode editar medida cautelar prevendo multas diárias pelo não pagamento das indenizações, conforme recomendação do conselheiro Igor de Freitas, que relatou os recursos administrativos das operadoras. A fixação dos valores das indenizações pela Anatel se deveu à falta de acordo entre as empresas, que solicitaram a arbitragem da agência, que depois recorreram contra a metodologia de cálculo dos valores usada pelo órgão regulador.

Comentários

2 Comentários

  1. LEITOR disse:

    PENSARAM QUE IA FICAR MOLE..SE DERAM MAL…KKKKKKKKKKKKKKKK

  2. Auber Silva Pereira disse:

    Esta história precisa ser descrita com detalhes …. A Anatel não homologou equipamentos de 4G para as operadoras do MMDS,"Revendeu" o espectro para as multinacionais por R$3 Bi em 2012 e não estipulou o quanto as Multinacionais deveriam ressarcir aos investidores detentores dos contratos vigentes,sequência de atos daninhos à iniciativa privada,crimes em cima de crimes.
    O escritório de campanha do PT em Curitiba assessorou os golpes criminosos,o mesmo do Pixuleco II.
    A Polícia Federal está demorando demais para esclarecer este descalabro.
    Nortv-Telecomunicações Ltda.
    Londrina-Pr.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top