TECNOLOGIA
11/09/2018, 23:19

Aplicação de 5G em radiodifusão e mídia pode trazer economias

A indústria móvel espera que a 5G não se limite ao próprio mercado, mas também traga novas oportunidades em outros setores. Através de parcerias, companhias testam aplicações que começam a tomar forma, como na substituição de complexos sistemas cabeados para a produção de conteúdo televisivo. A Intel trabalhou no segmento de mídia com fornecedoras como Ericsson e operadoras como AT&T, com quem a fabricante de chipsets e modems implantou a tecnologia em teste de transmissão em 4K e HDR do aberto de Golfe dos Estados Unidos (US Open Golf) em junho, pela Fox Sports.

A ideia foi substituir a rede de cabos ligando câmeras em diferentes pontos dos campos de golfe de forma eficiente em throughput e especialmente com latência com ondas milimétricas, onde a tecnologia conseguiu mostrar diferencial. "As câmeras sem fio precisavam estar sincronizadas com as unidades ligadas em cabo", ressalta o vice-presidente sênior de operações técnicas e de campo da Fox Sports, Michael Davies.

O executivo diz que não chegou a quantificar a economia de custos em infraestrutura com a aplicação de 5G em vez do uso tradicional de fibras ou mesmo micro-ondas, mas garantiu que houve eficiências "significativas". A Fox Sports fará mais um evento de testes em Charlotte na próxima semana, e prevê mais aplicações da tecnologia. "O céu é o limite. Não estamos apenas tentando ter a melhor experiência para o consumidor na TV, também estamos procurando novas formas de servir o fã de esportes, como realidade virtual e realidade aumentada", explica Davies.

"Em vez de usar fibra, usamos o sistema wireless. Toda a configuração do evento fica mais flexível e com melhor custo", explica o vice-presidente sênior de arquitetura e design de redes móveis da AT&T, Igal Elbaz. A parceria da Intel com a operadora norte-americana em 5G foi iniciada em 2016, com aplicações corporativas na cidade texana de Austin. "Agora estamos indo mais para o automóvel conectando, usando plataformas da Intel e entendendo melhor como as ondas milimétricas funcionam em movimento, com handoff e edge computing", diz.

A AT&T anunciou nesta terça-feira cidades que vão receber a 5G em 2018: Jacksonville, Louisville, New Orleans, Santo Antonio, Atlanta, Charlotte, Dallas, Indianápolis, Oklahoma City, Raleigh e Waco. Em 2019, serão adicionadas Las Vegas, Los Angeles, Nashville, Orlando, San Diego, San Francisco e San Jose, totalizando 19 cidades. Além da Intel, a tele trabalha com Ericsson, Nokia, Samsung e Qualcomm.

Por sua vez, a Intel também anunciou na mesma data uma parceria de inovação conjunta com a operadora sul-coreana SK Telecom "para acelerar a comercialização de serviços 5G de mídia imersiva", conforme explica Sandra Rivera. Isso inclui computação móvel de ponta e a tecnologia de realidade virtual, na qual a 5G pode ajudar a deixar os equipamentos mais portáteis. A fornecedora trabalha com a fabricante de dispositivos HTC para uma versão do Vive, de seu kit de óculos e controles de VR, com 5G em ondas milimétricas – o modelo atual precisa de vários cabos ligados a um computador desktop ou uma pesada mochila para permitir movimentação livre.

"Reconhecemos que a 5G vai claramente impactar não só na operação, produção e distribuição de conteúdos", afirma a CTO da Warner Bros, Vicky Colf. A companhia testa com a Intel a criação de conteúdo para VR e para entretenimento em carros autônomos, segmento no qual as empresas enxergam potencial. "Estamos colocando conteúdo com contexto de localização e, potencialmente, leitura biométrica, para saber como você está se sentindo, por exemplo", explica Colf.

 

* O jornalista viajou a Los Angeles a convite da Intel.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2018 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top