Grupos de mídia
13/03/2019, 17:12

Investimentos no Globoplay pesaram em resultado operacional, diz Globo

O resultado operacional negativo de R$ 530 milhões registrado pela controladora do Grupo Globo não se deve ao desempenho negativo da TV, mas sim aos investimentos que estão sendo feitos pelo grupo em plataformas e conteúdos de Internet, sobretudo por conta do lançamento do Globopay. Quem faz o alerta é a própria Globo, depois que este noticiário publicou os dados do balanço financeiro de 2018. Segundo informações do Grupo Globo, é preciso lembrar que dentro do resultado da controladora há, além dos números da TV Globo, outras unidades de negócio, como a Som Livre (gravadora), DGCorp (diretoria corporativa) e Globoplay. "Neste último caso, temos grandes investimentos (capex + despesas) em conteúdo e plataforma, para receitas que só virão posteriormente. Assim, é errado concluir que a Unidade de Negócio TV Globo tem prejuízo operacional", informou a empresa. Segundo apurou este noticiário, o produto Globoplay, com sua nova plataforma de vídeo e de CRM/billing, além dos conteúdos exclusivos, só foi efetivamente lançado no segundo semestre de 2018, por isso ainda tem uma receita pouco expressiva no resultado final. Ainda está em fase de investimento e com EBITDA negativo, mas dentro do business plan previsto, segundo apurado dentro da Globo.

O grupo também faz uma ressalva em relação aos resultados consolidados do grupo de 2017 para 2018, pois alguns negócios, como ZAP e Editora Globo, deixaram de ser consolidados em 2018 devido à alterações societárias. A maior parte do resultado consolidado, adicional ao da controladora vem, portanto, da TV por assinatura (Globosat).

Inflação

Outras fontes chamam ainda a atenção para o fato de que existe ainda um fator que precisa ser considerado na leitura dos resultados do Grupo Globo. Apesar de ter havido um crescimento de receitas na controladora de R$ 9,8 bilhões em 2017 para R$ 10 bilhões em 2018, é preciso considerar a inflação no período (3,7% no IPCA).

Olhando-se o consolidado do grupo Globo como um todo, como mostra o balanço, houve uma queda de R$ 14,8 bilhões para R$ 14,7 bilhões. Considerando a série histórica de resultados do grupo desde 2005 (tabela abaixo), ponderando-se a inflação, percebe-se que desde 2014 a receita operacional líquida anual vem em queda, mas tem havido uma desaceleração nesse movimento nos últimos dois anos.

Evolução da Receita Operacional Líquida – Globo Comunicações e Participações

Fonte: Balanços Globo Participações. Dados corrigidos pelo IPCA

Comentários

1 Comentário

  1. Avatar Rogério disse:

    Samuel, contribuindo novamente, posso lhe afirmar que a queda da receita da Rede Globo de 2014 para cá, em termos reais, foi de cerca de 40%. Já o corte de custos não conseguiu acompanhar o mesmo ritmo, daí a perda de resultado. O investimento no Globoplay até pode ter sido significativo, mas, longe de ser o responsável pelo mal resultado em 2018. Certamente o maior investimento no Globoplay foi na aquisição de direitos, especialmente de séries, que não levados à resultado no ano da compra e sim ao longo do prazo do direito. E alguns dos gastos citados, podem até ter sido ativados para serem amortizados/depreciados, e não necessariamente lançados à resultado. Seria bom saber então quanto de fato tem de prejuízo a operação do Globoplay na composição da perda de R$530 milhões.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top