PRODUÇÃO
20/02/2019, 21:53

Carnaval Filmes investe em conteúdos infantis e tem quatro séries em desenvolvimento

Neste mês de fevereiro, a produtora recifense Carnaval Filmes lançou uma série de animação original chamada "Bia Desenha" na TV Brasil. A primeira experiência da Carnaval com o formato contou com a coprodução da REC e está atualmente em exibição pela emissora de segunda a sexta-feira, às 11h05. A trama conta a história dos primos Bia, de 5 anos, e Raul, de 6. Os dois moram em casas ao redor do mesmo quintal em uma periferia da região metropolitana do Recife e se encontram todos os dias, após a aula, para brincar e desenhar.

Em entrevista exclusiva a este noticiário, a produtora Nara Aragão, responsável pela série infantil, declarou: "É extremamente importante, em qualquer produção audiovisual, considerar a diversidade de universos e personagens que deixam de ser representados mais corriqueiramente. Quando se trata de produções para o público infantil, então, se torna mais importante ainda, para que esse público se reconheça e encontre espaço para refletir sobre suas referências. Isso contribui com a aceitação, autoestima e para que se sintam pertencendo às narrativas e às histórias. A maioria das produções nacionais voltadas ao público infantil fazem referências a um universo de classe média do sudeste do país, os quais as crianças acabam considerando como o universo ideal.".

A produtora recifense contou apenas com talentos locais para o desenvolvimento de "Bia Desenha". E, para Nara, o maior desafio nesse sentido é a formação profissional. "Temos grandes e importantíssimos talentos em Pernambuco que acabam se afastando da área por falta de oportunidades para se aprimorar e adquirir experiência e por falta de financiamento para produzir.", aponta. "Outro grande desafio é o escoamento da produção, que depende da articulação com programadores de fora do estado, o que dificulta nosso acesso e torna algumas vezes os diálogos mais longos para negociar um licenciamento. Por último, apontaria a falta de investimento em infraestrutura, que ainda é um grande gargalo, e que tentamos enfrentar estabelecendo parcerias.", completa.

Apesar disso, a produtora acredita que já existam alternativas para o crescimento do mercado audiovisual em outras regiões, saindo da concentração do eixo Rio-São Paulo que, segundo ela, é "inegável e histórica". Para Nara, as produções mais recentes, como essa da qual fez parte, estão permitindo o fortalecimento de uma cadeia produtiva em regiões como Recife, por exemplo. Além disso, ela indica o FSA, com a política de regionalização da produção implementada há alguns anos, como um dos grandes impulsionadores desse movimento de descentralização. "De alguns meses para cá, no entanto, já vemos um movimento de retração no estímulo à regionalização da produção, o que enfraquece as possibilidades de investirmos no fortalecimento dessa cadeia produtiva e freia a curva ascendente de avanços na qualificação de profissionais. Os próximos passos para quem produz são batalhar pelo financiamento regionalizado e pelo acesso aos maiores programadores, que também são estabelecidos no eixo Rio-São Paulo.", pontua.

Os planos para o futuro são promissores. Dentro da Carnaval, existem mais quatro séries, todas de autores recifenses e produzidas localmente, já em diferentes etapas de desenvolvimento. A primeira delas é "Dó Ré Mi Fadas", série musical para o público de três a seis anos inspirada na dupla de artistas pernambucanas Fadas Magrinhas. Os recursos do Funcultura, do Governo de Pernambuco, permitiram a criação da ideia e a produção de um episódio piloto. Agora, a série está em fase de negociação de pré-licenciamento e captação de recursos para a primeira temporada completa.

Já "Próximo Passado" é um projeto recém-selecionado em um edital do Ministério da Cultura voltado para o desenvolvimento de ideias com a temática "200 anos da Independência do Brasil", com previsão de produção em 2020. Esta será voltada ao público de nove a 12 anos e retrata uma acidental viagem no tempo até o Brasil-colônia. Personagens históricos, como Dom Pedro, aparecem na trama. A lista segue com "Ilha dos Sábias", série desenvolvida em parceria com o Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá, ONG que trabalha com a promoção da agricultura familiar dentro dos princípios da agroecologia. Voltada para crianças de sete a dez anos, a produção trabalha conteúdos ecológicos e étnicos a partir de uma história de amizade entre uma menina e um pássaro. Atualmente, também está em negociação de pré-licenciamento e captação de recursos para produção.

Por fim, "Poemas de Bichos" tem como mote a relação das crianças com os animais, mostrando os momentos de magia e descoberta. É uma série de interprogramas musicais, com duração de um a dois minutos, para crianças dos três aos seis anos. É uma adaptação dos poemas do livro homônimo do autor Germano Rabello e está em fase de captação de recursos.

Assista abaixo ao vídeo promocional de "Bia Desenha":

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top