Grupos de mídia
25/03/2019, 23:08

Grupo Bandeirantes chega à maioridade na TV por assinatura

O canal de notícias Bandnews TV completou 18 anos e inaugurou na semana passada seus novos estúdios, com a adoção de um novo padrão visual. A chegada do canal marcou a entrada do Grupo Bandeirantes na programação de TV por assinatura, mais tarde ampliada com Band Sports e Arte1. Além dos três canais, o grupo distribui na TV paga o canal aberto Band e o Terra Viva, aberto no satélite.

Segundo Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, há espaço para mais canais lineares na TV por assinatura. O grupo prepara um canal com lançamento previsto para abril e distribuição já expressiva. Apesar da maturidade do setor, para o executivo a dificuldade em entrar nas operadoras hoje não é menor.

O vice-presidente de canais pagos do grupo, Paulo Saad, concorda que há dificuldade. Segundo ele, a briga pela distribuição do Bandnews durou anos. A fusão da Sky com a DirecTV permitiu expandir a base, mas a duras penas. "Tivemos uma paciência que não é típica para nós para entrar com o sinal na Net", brinca. "Começamos com 400 mil assinantes na DirecTV, que precisava de uma alternativa de esportes. Depois foi TVA e afiliadas NeoTV, chegando a cerca de 2 milhões".

Esportes

Questionado sobre qual será a participação do grupo, através do canal Band Sports, no atual cenário ultracompetitivo de direitos esportivos, Johnny Saad afirma que o canal encontrou o seu nicho com os campeonatos de tênis.

Para ele, o mercado de direitos esportivos não está apenas competitivo, mas valorizado acima da realidade. "Acho que a conta do futebol (que o grupo deixou de transmitir há dois anos) não fecha mais nem mesmo para a Globo. O Brasil está 'jogando' errado este jogo. Nós formamos jogadores e eles vão embora. Nossos campeonatos não têm a mesma relevância que os internacionais", diz.

Digital

Segundo Johnny Saad, os novos meios de distribuição são inevitáveis. Para ele, terão destaque neste cenário de mídia aqueles que sabem produzir o conteúdo. O Grupo Bandeirantes, no entanto, ainda estuda qual será o seu papel neste cenário. Embora haja estudos avançados para a criação de uma plataforma própria, o presidente do grupo diz que ainda não está definido qual será o papel da Bandeirantes no novo cenário: plataforma ou fornecedor de conteúdo.

Para Paulo Saad, as novas plataformas não acabarão com a TV paga, mas terão papel fundamental na distribuição. "As plataformas digitais são meios de distribuição que serão ocupados por produtores de conteúdo relevantes. Temos história e capacidade para ocupar este espaço", diz.

O vice-presidente de canais pagos do grupo lembra que as operadoras de TV estão se reciclando para este cenário. Ao mesmo tempo, as novas plataformas vão ampliar o mercado de TV por assinatura. "No fim, serão mais clientes para nós", diz. Para Paulo Saad, estas plataformas têm potencial para destravar o mercado de TV paga no Brasil. "É desta forma que o conteúdo chegará às classes que hoje não podem pagar pelos serviços tradicionais de TV", diz.

Novos estúdios

Com os novos estúdios, o Bandnews passou a operar em quatro diferentes cenários. Antes, era apenas um, com o âncora sentado numa bancada e a imagem da redação ao fundo. A partir de agora os apresentadores podem se movimentar, tendo ao fundo um telão que permitirá a interação ao vivo com os repórteres e correspondentes. Outra opção é um set de entrevistas ao vivo onde entrevistados e apresentadores poderão interagir de forma mais descontraída. A antiga bancada fixa continua, mas com visual reformulado. Da mesma forma, a imagem da redação ao fundo continua sendo utilizada, mas agora com o apresentador em pé, falando de um púlpito.

Segundo o canal, o projeto demorou mais de um ano para ficar pronto e passou por várias etapas nas equipes de arquitetura, cenografia e engenharia.

"A mudança não é só cosmética, há uma atualização tecnológica, com mais mobilidade para fazer coberturas ao vivo, bem como a contratação de novos profissionais", conta Paulo Saad. Para dar conta e agilidade à utilização dos novos cenários, o canal inaugurou também quatro novas câmeras robotizadas, capazes de funcionar sem operação humana.

Para o executivo, não há preocupação com a chegada da CNN Brasil. A concorrência, diz, obriga o mercado a se renovar e se esforçar. "Nós já competíamos com a CNN e com a Record", finaliza.

Comentários

7 Comentários

  1. Avatar Erick Nilson disse:

    Band Sports é muito bom! Pena que nao tenho na minha TV…

  2. Avatar Carlos disse:

    BandNews é tipo globo, manipulação das notícias a todo o momento, só defendem os interesses do grande capital e o povo que se exploda. Os demais canais, como este, são pura bobagem, sem utilidade. O grupo tá quebrado financeiramente e não se entendem nem entre irmãos. Não tem mais jeito, derrocada total.

  3. Avatar Leandro disse:

    Qual será esse novo canal?? Eu fico pensamento um canal de turismo. Espero divulgue a data de estreia.

  4. Avatar Ana Paula disse:

    Minha fonte de notícias sempre foi o Boechat, por sua credibilidade, imparcialidade e confiança mas sem medo de falar as verdades doesse a quem doesse. Vou seguir acompanhando toda a equipe, e troço muito por todos. Boa sorte.

  5. Avatar Richard disse:

    "Segundo Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, há espaço para mais canais lineares na TV por assinatura. O grupo prepara um canal com lançamento previsto para abril e distribuição já expressiva"

    Só se for canal de culinária, porque a Band aberta virou uma emissora só de Masterchef

  6. Avatar Kaique disse:

    Deveriam tentar expandir o sinal do Bandsports em pacotes mais baratos junto ás operadoras. Focar no tênis foi uma saída interessante. Mas seria melhor se focassem especificamente no vôlei por agregar mais público. (poderiam inclusive buscar jogos alternativos da Superliga e outros torneios nacionais e internacionais , que o Sportv não passa)

    Bem que seria interessante se o novo canal fosse de turismo ou ao estilo da antiga Rede 21 .

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top