AUDIÊNCIA
02/06/2020, 11:46

Estudo compilado pela Ancine apresenta aumento de audiência na TV paga durante a pandemia

A Ancine apresenta nesta terça, 2, seu primeiro estudo de audiência elaborado a partir de dados da Kantar Ibope Media. A principal conclusão do material já é de conhecimento do setor: com as recomendações de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, que causaram também o fechamento das salas de cinema temporariamente, a audiência da TV paga cresceu.

A análise da agência compilou dados do Ibope tendo como parâmetros, inicialmente, o consumo individual de TV dos indivíduos com acesso à TV paga no conjunto das 15 regiões metropolitanas medidas pela Kantar, no horário entre 7h e meia-noite, considerando como "semana" o período de sábado a sexta-feira. Dentro desse recorte, observa-se um crescimento da audiência já na primeira semana – entre 16 e 22 de março, quando foi decretado o início da quarentena na maioria dos estados brasileiros – de 22% na média semanal, em números absolutos. O aumento seguiu e fez da semana seguinte aquela com maior média dos canais de TV paga em 2020 (dentro dos parâmetros de observação escolhidos). De 23 a 29 de março, a média do total de telespectadores dos canais de TV paga correspondeu a 8,95 pontos de audiência – a título de comparação, esse número variou entre 6,63 e 7,38 do começo de janeiro até a primeira semana de março deste ano. Confira no gráfico abaixo:

O estudo analisa ainda o desempenho dos canais a partir do gênero de programação – nesse sentido, identifica-se que os canais de notícias foram os que registraram maior aumento em relação à quantidade absoluta de telespectadores. O fato das pessoas estarem em casa preocupadas com a pandemia e buscando cada vez mais informações sobre o assunto somado ao lançamento de um novo canal noticioso em meados de março (a CNN Brasil) justificam o resultado. A média do total de espectadores assistindo a esses canais na primeira quinzena de abril foi 100% superior à média da primeira quinzena de março. Em relação ao mesmo período de 2019, a média da audiência total aumentou mais de 50%.

Canais de filmes e séries também performaram bem, com o total de indivíduos assistindo a essas marcas aumentando em quase 40% em termos absolutos. Já o crescimento dos canais de variedades foi de 29,6%; de documentários, 25,3%; e infantis, 9%. A interrupção de eventos e competições esportivas no Brasil e no mundo fez com que o segmento de canais de esporte fosse o único com redução na média do total de espectadores da primeira quinzena de abril em relação à primeira quinzena de março – a queda foi de mais de 60%.

Olhando mais pra frente, na primeira quinzena de maio, somente os canais de notícias, infantis e de variedades apresentaram algum crescimento de audiência em relação à primeira quinzena de abril – 11%, 4,6% e 3,4%, respectivamente – mas todas as categorias, com exceção dos canais esportivos, obtiveram uma média no período superior ainda à primeira quinzena de março.

O gráfico abaixo compara o crescimento dos canais de notícias, infantis, esportivos, filmes e séries, documentários e variedades desde o início do ano, na primeira quinzena de janeiro, até dados mais recentes, na primeira quinzena de maio. O material considera pontos de audiência representativos da média quinzenal do total de audiência das categorias de canais de TV paga.

Por fim, o estudo da Ancine presta atenção ainda no desempenho dos chamados "Canais de Espaço Qualificado" – aqueles que, conforme previsto na legislação, devem veicular, no mínimo, em seu horário nobre, 3h30 semanais de conteúdos brasileiros de espaço qualificado, sendo pelo menos metade dos mesmos produzida por produtora brasileira independente. Em abril, a média do total indivíduos assistindo a esses canais no horário nobre foi a maior do ano, aumentando 8% em relação a março. Já no comparativo entre a média da primeira quinzena de abril e a de março, esse aumento é mais significativo: cerca de 32% de espectadores a mais. A Agência explica que, por terem uma dinâmica de horário nobre diferente, canais infantis não foram contabilizados nessa observação.

Entre os canais de espaço qualificado, os chamados "Canais Brasileiros de Espaço Qualificado" acompanhados pelo Kantar (aqueles que são programados por programadora brasileira e veiculam majoritariamente, no horário nobre, conteúdos audiovisuais brasileiros que constituam espaço qualificado, entre outras características), tiveram um aumento de aproximadamente 55% na média do total de indivíduos assistindo à programação no horário nobre na primeira quinzena de abril em relação à primeira quinzena de março. Um patamar similar foi mantido na primeira quinzena de maio.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2020 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top