Publicidade
Início Newsletter (Pay-TV) Canal Curta! contratou R$ 70 milhões em orçamentos de 69 projetos para...

Canal Curta! contratou R$ 70 milhões em orçamentos de 69 projetos para o Edital FSA de produção para TV/VOD de 2023

A equipe do canal Curta! concluiu na última sexta, 29, o seu processo de seleção e contratação de projetos inéditos para o edital de produção para TV/VOD 2023 do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Foram pré-licenciados um total de 69 projetos, sendo 46 filmes e 153 episódios de 23 séries documentais, cujos orçamentos de produção totalizam R$ 70,67 milhões.

Os projetos que passarem pelo crivo da Ancine, para obterem o financiamento junto ao FSA serão exibidos em primeira mão no canal linear e nas marcas de VOD do Curta!: Curta!ON – Clube de Documentários; e no CurtaEducação.

Entre os projetos recém-contratados 18 atendem à grade de Segundas da Música do canal, destacam-se a série “Amores de Nelson (Motta)”, com seis episódios, realização da Dona Rosa Filmes; “Adriana Calcanhoto”, em documentário de longa metragem; “LPs Memoráveis da Música Brasileira”, quatro episódios dirigidos por Marcelo Machado; e “Bebel & João (Gilberto)”, média-metragem produzido pela Canto Claro, de Antonio Carlos da Fontoura. 

Para a grade de Terças das Artes Cênicas, Arquitetura e Design foram contratados nove projetos, entre eles o longa documental “EAV: A Escola De Artes Visuais Do Parque Lage”, da Indiana, de Marco Altberg; a coprodução internacional “Arquitetura: Emergência Climática”, com seis episódios de 26 minutos; e “Amir (Haddad), só o Teatro Salva”, outro longa documental, realizado pela Leminiscata.

Para as Quartas do Metacinema, dedicada a revelar aos bastidores técnico-artísticos da realização cinematográfica nacional e internacional, foram selecionados para contratação três novos conteúdos: série “Encontros com o Novo Cinema Negro Brasileiro”, com oito episódios dirigidos por Joel Zito Araújo; “Nós, os Documentaristas – 2ª Temporada”, com 13 episódios realizados pela Modo Operante, de Susana Lira; e “Nossos Grandes Atores”, com cinco episódios iniciais, dirigidos por Flavio Frederico, da Kinoscópio.

Para as Quintas do Pensamento foram contratados a série “Clarice no Espelho”, com sete episódios, pela Luni Produções com direção de Susanna Lira; “Lélia Gonzalez: A Voz da Amefricanidade”, longa documental da Viralata Filmes; “O caso Capitu ou A mulher que sabia demais”, projeto dirigido por Consuelo Lins e produzido pela Taiga Filmes de Lucia Murat; e “(Fernando) Sabino, o Menino na Praça”, pela Inspiração.

A grade de sexta-feira da História Política foi o tema que mereceu mais conteúdos contratados, somando 21 projetos, entre eles a série de especulação futurista “Admirável Brasil Novo”, da Giros, a ser conduzida por Sérgio Besserman; “Raízes do Sagrado Feminino”, longa documental de Carla Camurati, pela Copacabana Filmes; “O Autoritarismo à Brasileira – Imagens que falam”, baseado no livro de Lilia Schwartz, com direção de Cao Hamburger e Tom Hamburger; e “Evangélicos”, de Helena Solberg.

Histórico

Nos editais FSA de 2022 – Novos Realizadores, TV/VOD e Programadora -, o canal contratou 94 projetos, com orçamentos somando R$ 78,7 milhões para 63 filmes e 274 episódios de 31 séries. Destes projetos, 27 foram aprovados pelos analistas da Ancine para financiamento pelo FSA. Os projetos aprovados somam 17 filmes e 105 episódios de dez séries e seus orçamentos somam R$ 20 milhões.

Segundo o diretor do canal, Julio Worcman, é uma pena que os editais mais recentes do FSA assumiram a forma de “concursos”, para os quais a agência passou a realizar análise conteudista dos projetos, aprovando uns e indeferindo outros. Para Worcman, ninguém melhor que os próprios contratantes – canais de TV, plataformas de VOD e distribuidores – para definir os projetos que melhor convém às suas grades de programação.

Worcman complementa lembrando que o fluxo da Condecine Telecom, que  abastece o FSA, tem sido contínuo e portanto idealmente os editais poderiam voltar ao modelo de fluxo contínuo, com a agência limitando-se à análise de documentos para comprovar a adimplência dos agentes e a compatibilidade dos orçamentos dos projetos com as pontuações do histórico das produtoras e dos diretores envolvidos.

O diretor do Curta! completa que desde o início da operação do FSA como hoje é conhecido, a partir de 2014, o canal Curta viabilizou o financiamento de 261 projetos, consumindo R$ 148,8 milhões em orçamentos de 163 filmes e 1.077 episódios de 97 séries, gerando um total de 800 novas horas de conteúdos relevantes e de longa permanência para a cultura e educação nacionais e cuja lista completa pode ser conferida na lista em http://festival.canalcurta.tv.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile