Publicidade
Início Newsletter (Pay-TV) Minissérie rodada no Pará e adaptação de livro de Paulo Coelho estão...

Minissérie rodada no Pará e adaptação de livro de Paulo Coelho estão entre as principais novidades da Netflix

Executivos e talentos da Netflix em painel no Rio2C (Foto: Divulgação)

O tradicional painel que a Netflix apresenta no Rio2C aconteceu nesta quarta-feira, dia 5 de junho, com apresentação do ator Christian Malheiros, do elenco de produções originais da plataforma como a série “Sintonia” e o recém-lançado longa “Biônicos”. Boa parte dos conteúdos anunciados durante a apresentação não são novidade – como o doc-reality musical “Nova Cena”; o primeiro melodrama original nacional da Netflix, “Pedaço de Mim”; o documentário sobre o jogador de futebol Vini Jr.; o filme “Caramelo”; e a minissérie “Os Quatro da Candelária”. Alguns desses títulos, inclusive, foram anunciados na edição de 2023 do Rio2C. 

Doc-reality musical 

Elisa Chalfon, diretora de conteúdo de não-ficção da Netflix Brasil, subiu ao palco para falar sobre o reality “Nova Cena”, cujo teaser foi exibido durante o painel. “É nosso primeiro projeto de doc-reality musical, em um formato diferente. Na primeira temporada, visitamos os estados dos nossos três jurados – Filipe Ret, Tasha & Tracie e Djonga -, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Os participantes passaram por audições em locações e em estúdios, onde tiveram que provar suas habilidades no universo do rap e do trap. São dois dos gêneros que mais crescem no Brasil e ainda não tinha nenhum reality musical que trazia esse aprofundamento. Uma prova para nós de que esse gênero tem muita afinidade com o público é o documentário sobre Racionais que estreamos na plataforma e logo foi para o Top 10 dos filmes mais vistos”, afirmou. A produção de “Nova Cena” é da Endemol Shine Brasil e o vencedor ganhará 500 mil reais e uma participação na série “Sintonia”. Marcelo D2 e Karol Conká são alguns dos artistas que fazem participações especiais no reality. 

Documentário original 

Sobre o documentário de Vini Jr. – projeto que está em desenvolvimento desde setembro de 2022 e tem estreia prevista para 2025 – Chalfon revelou que já foram mais de 100 diárias entre Brasil, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos, sendo a conquista da Champions pelo Real Madrid, time no qual o jogador atua, que aconteceu na última semana, um dos momentos principais. O documentário é uma parceria com a Conspiração e tem roteiro de Emílio Domingos e direção de Andrucha Waddington. 

Primeira produção de melodrama 

A atriz Juliana Paes deu mais detalhes de “Pedaço de Mim”, primeiro melodrama brasileiro da Netflix, que também teve um trailer exibido com exclusividade. “Anunciamos o início da produção aqui no Rio2C, no ano passado. De lá pra cá, aconteceram todas as gravações, que foram em locações, o que é diferente de estúdio, deixa tudo mais dinâmica. É série, novela, melodrama. Um gênero fluido. É um jeito de contar história sem medo de debulhar. É uma trama que traz dilemas emocionais e familiares, e também fala de machismo e temas femininos, propondo debates, discussões e provocações”, disse a atriz. 

No evento, também foi confirmada a data de estreia: 5 de julho. No entanto, a plataforma ainda não revelou qual será a periodicidade de lançamento dos capítulos – somente que será uma temporada única. “Pedaço de Mim” é produzido pela A Fábrica, com direção artística de Maurício Farias e criação e roteiro de Angela Chaves. A história acompanha Liana, uma mulher que sonha em ser mãe e que acaba tendo sua trajetória atravessada por eventos de grande força dramática: a infidelidade do marido Thomás (Vladimir Brichta) e uma gravidez de gêmeos de pais diferentes, uma raridade científica. Disposta a lutar para manter a situação em segredo, Liana se vê em meio a uma confusão de sentimentos, sem saber se conseguirá amar igualmente as duas crianças e manter suas relações familiares da mesma forma. 

Filmes inéditos e clássicos

Novos filmes também chegam à Netflix. “Caramelo”, da Migdal Filmes, com direção de Diego Freitas, vai acompanhar a história de um simpático vira-lata caramelo – e já tem até seu protagonista em treinamento. Gabriel Gurman, diretor de filmes da Netflix Brasil, adiantou que o longa começa a rodar em breve e que será um título para “emocionar e divertir toda a família”. Gurman ainda celebrou seu primeiro ano na empresa e disse ter orgulho de dizer que eles estão olhando para frente mas também para os clássicos do cinema brasileiro. Recentemente, a Netflix anunciou a estreia de um pacote de obras clássicas, que chegam à plataforma em 19 de junho, justamente quando é comemorado o Dia do Cinema Brasileiro. 

“Estamos desenvolvendo novos projetos e buscando ser criativos e ousados, além de trabalhar com diversas produtoras. Estamos olhando para podcasts, remakes e livros”, adiantou o executivo, que aproveitou para anunciar a adaptação do clássico de Paulo Coelho, “O Diário de um Mago”, com filmagens no Brasil e na Espanha. “Estamos começando o processo agora e queremos dar tempo para o desenvolvimento do roteiro, essa é uma preocupação nossa”, garantiu. 

Projetos de minissérie 

Com produção de Andrea Barata Ribeiro, da O2 Filmes, e direção de Fernando Meirelles e Quico Meirelles, a nova minissérie baseada no livro “Pssica”, do escritor paraense Edyr Augusto, entra em produção em breve, no Pará. Nela, o público acompanhará as histórias de Janalice, Preá e Mariangel. Permeadas de drama, ação e violência, as vidas desses três estranhos entra em rota de colisão enquanto navegam pelos rios da Amazônia atlântica. Janalice é raptada pelo tráfico humano, Preá precisa fazer as pazes com seu destino como chefe de uma gangue de “ratos d’água” – como são chamadas as gangues que praticam assaltos nos rios – e Mariangel parte em missão para vingar o assassinato de sua família. Os três tentarão sobreviver à “pssica” (maldição) que acreditam ter sido lançada sobre eles.

Barata Ribeiro e Elisabetta Zenatti apresentaram o projeto juntas no palco do evento e contaram que, inicialmente, a ideia foi apresentada pela produtora para a plataforma como um projeto de filme. “Entendemos que era uma histórica muito rica e cheia de reviravoltas, então transformamos esse filme em uma minissérie. Nós sempre fazemos essa pergunta quando recebemos os projetos: qual é o formato?”, afirmou Zenatti. O roteirista-chefe do projeto é Bráulio Mantovani, que trabalhou desde o início, já nessa mudança do formato. “Não foi fácil. O processo foi de muitos debates. Mas foi frutífero, e no fim chegamos ao lugar que queríamos. Precisamos desses momentos de discussão”, disse a executiva. A produtora concordou: “Os embates tinham como objetivo encontrar equilíbrio. Foi uma troca positiva, mas chegamos num resultado que acredito ser muito bom”. Ela ainda falou dos desafios de produção, que são muitos, especialmente por conta das cenas de ação na água, já que no local o transporte é todo fluvial, e mencionou que, visando autenticidade, eles buscaram trabalhar com o máximo possível de talentos locais – são 150 paraenses envolvidos no projeto. 

Já o criador e diretor Luis Lomenha subiu ao palco para revelar os jovens protagonistas da minissérie ficcional sobre a trágica noite conhecida como Chacina da Candelária. “Os Quatro da Candelária” acompanha as 36 horas que antecedem a tragédia pelo ponto de vista de quatro crianças, interpretadas por Andrei Marques, Samuel Silva, Patrick Congo e Wendy Queiroz, em uma produção da Jabuti Filmes e Kromaki em parceria com a Netflix. “É uma série sobre masculinidade negra, sonhos interrompidos, crianças que a sociedade não via como crianças. Contamos as histórias desses quatro meninos a partir de depoimentos dos poucos sobreviventes da tragédia. É a história de muitos meninos e meninas de rua que também tiveram suas vidas interrompidas após tragédias, massacres policiais e outras formas de violência”, detalhou Lomenha. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile