COVID-19
08/04/2020, 11:33

Canais adaptam programações e, sem opções, investem em reprises

As produtoras e os canais de TV foram algumas das primeiras empresas a sentirem os efeitos da pandemia do novo coronavírus. Logo no começo das recomendações para que a população evitasse aglomerações e priorizasse o isolamento social, as produções nos sets de filmagens já foram paralisadas. Isso, somado aos cancelamentos de eventos e competições esportivas, obrigaram os canais a repensarem suas grades de programação por prazo indefinido.

A TV por assinatura logo precisou fazer suas movimentações, especialmente porque viu a audiência crescer com mais pessoas ficando em casa o dia todo. Em entrevista exclusiva para TELA VIVA, Maurício Kotait, Gerente Geral da ViacomCBS no Brasil, contou que o grupo "deu sorte", uma vez que já tinha uma série de atrações inéditas gravadas com estreias próximas – é o caso de "De Férias com o Ex-Brasil", da MTV, e "A Culpa é do Cabral", "A Culpa Não é Nossa", "Homens?" e "Auto Posto", do Comedy Central. No entanto, o executivo revela: "Fizemos muita mudança de planejamento, especialmente dos nossos eventos. 'Acústico MTV', 'MTV Miaw', 'Meus Prêmios Nick', 'Dia de Brincar' e 'Comedy Fest' foram postergados para o segundo semestre. Estamos batendo bastante nessa tecla: postergar, e não cancelar. Nem que seja para, lá na frente, postergar mais uma vez. Atuamos de forma parceira com nossos colaboradores – é o momento de entendermos nossos clientes, produtores, produtores dos clientes… Todos estão se conversando e entrando em acordos. Nesse momento temos que nos entender. Vamos resolver melhores prazos de pagamento, entrega de mídia e conteúdo, ser criativo, se esforçar para não ter grandes cortes e fazer tudo para voltar ao que era no começo do ano. Diferente dos últimos anos, a perspectiva em 2020 era positiva, bem melhor. Por isso temos que trabalhar para minimizar os efeitos. Não é fácil para ninguém. Precisamos jogar junto, com respeito e parceria". Kotait comenta ainda sobre o licenciamento, área forte dentro da ViacomCBS: "O que vai acontecer com todas as marcas que fizeram ovos de páscoa licenciados? Ou com as produções de malharia? Precisamos dar condições diferentes de pagamento para elas. Podemos produzir comerciais para um cliente dentro da casa, por exemplo".

O gerente geral reforça que a TV é muito viva atualmente e que, por isso, é necessário se adaptar ao momento, independente da maior parte das estreias dos canais do grupo terem sido mantidas. "Nada parou na Viacom. Estamos fazendo lives, conversando com a audiência, promovendo ações de trade e investindo no digital. O único problema é braço para executar tudo o que queremos, porque ideias, projetos e sugestões não faltam", explica. "A crise é muito ruim, óbvio, afinal estamos falando da saúde das pessoas. Mas vamos tentar olhar o lado positivo – se é que tem um. O público está em casa querendo informação e diversão e, quando levamos algo novo, ele percebe esse esforço. Por isso, continuaremos criativos, priorizando pela qualidade do nosso conteúdo e colocando no ar coisas inovadoras", afirma.

A ViacomCBS é um dos grupos que mais tem crescido em audiência em meio à pandemia. Entre as crianças de quatro a 11 anos, que em grande maioria não estão frequentando as escolas, a audiência dos canais infantis cresceu 34%. Com destaques para os clássicos "Bob Esponja", "Henry Danger" e "The Thundermans", a Nickelodeon cresceu 40% no período de 16 a 29 de março. Já entre os adultos com idade de 18 a 34 anos, os realities da MTV estão se destacando: a audiência do canal cresceu 81% e, no Youtube, os vídeos do "De Férias com o Ex Brasil" geraram mais de 17,4 milhões de views só nessas duas últimas semanas. Com as maratonas da faixa "Rir em Casa é o Melhor Remédio", o prime time do canal Comedy Central cresceu 36% entre os adultos de 18 a 49 anos. Por fim, o Paramount Channel foi o canal da ViacomCBS que mais ganhou audiência durante a quarentena, crescendo 83% na última quinzena. A campanha "Juntos à Distância", projeto global do grupo, completa as ações especiais das marcas ViacomCBS para a quarentena.

Já o grupo Discovery começou a pensar as grades de seus canais de outra maneira ao notar que, além de ter mais gente em casa vendo TV, essas pessoas estavam fazendo isso em horários que antes não eram comuns para a atividade. "No dia 19 de março iniciamos uma programação especial nos canais Discovery levando ao ar maratonas que reúnem os maiores sucessos das suas respectivas programações. Discovery Channel, Discovery Kids, Discovery Home & Health, TLC, Food Network e HGTV são os canais que tiveram suas grades reformuladas, com as atrações prediletas do público brasileiro distribuídas ao longo de todo o dia. Também planejamos reexibir algumas atrações locais que fizeram grande sucesso em nossa programação no passado. A quarentena afetou também o trabalho das empresas de dublagem, e com isso algumas estreias previstas para este período tiveram que ser adiadas", conta Monica Pimentel, VP de conteúdo da Discovery no Brasil, em entrevista exclusiva. Pimentel revelou ainda que produções em andamento foram suspensas para garantir a segurança dos talentos e equipes: "Por exemplo, a segunda metade da primeira temporada de '24 Horas pra Redecorar', do HGTV. Também suspendemos produções que estavam em fase de iniciar as gravações. A segurança e proteção dos nossos parceiros e fornecedores neste momento é nossa prioridade". Por outro lado, grandes estreias permanecem confirmadas, como "Sete Mundos, Um Planeta", uma superprodução da BBC de História Natural que estreia no Discovery no final de abril.

A Discovery adotou o trabalho remoto em todos os seus escritórios no mundo desde o dia 13 de março. "Continuamos desenvolvendo todas as atividades normalmente, mas em home office. Graças à tecnologia, nunca estivemos tão conectados. São milhares de funcionários trabalhando de mãos juntas – no sentido figurado – para oferecer o melhor conteúdo ao nosso público que sempre nos prestigiou. A perspectiva é manter a empresa funcionando até que tudo se normalize, com mais gás ainda do que antes, pois temos ciência da importância das nossas entregas neste momento difícil", afirma a VP de conteúdo. Em seguida, a executiva analisa: "Ainda não é possível estimar o tamanho do impacto disso tudo no nosso setor. Mas já sabemos que o impacto na economia será gigantesco, e tudo está interligado. Por enquanto o nosso setor está sendo beneficiado com o aumento do consumo de vídeo em geral em todas as plataformas. Mas como a maioria dos setores, o audiovisual também sofrerá as consequências da retração econômica. É de se esperar cortes em orçamentos de produção e o setor nacional, que já vinha sofrendo muito com a paralisação da Ancine, agora vai ser novamente penalizado com a crise".

Os canais Fox, por sua vez, informaram que estão analisando a continuidade das gravações das produções regionais que estão sendo filmadas caso a caso, seguindo as recomendações anunciadas pelas autoridades locais em cada país, região e pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Já na National Geographic, a estreia da nova temporada de "Cosmos: Mundos Possíveis no Brasil", originalmente prevista para 28 de março no canal National Geographic, foi adiada até novo aviso. Isso ocorre devido a complicações operacionais derivadas do atual contexto internacional.

TV aberta: mais jornalismo e entretenimento prejudicado

A Globo foi uma das primeiras TVs abertas a reagir às recomendações de isolamento social: logo na primeira quinzena de março, por volta do dia 15, a emissora suspendeu as gravações das novelas "Amor de Mãe" e "Salve-se Quem Puder", que estavam no ar, e de "Nos Tempos do Imperador", que nem chegou a estrear. No lugar, colocou tramas já exibidas pelo canal, como "Fina Estampa", "Totalmente Demais", "Novo Mundo" e "Malhação: Viva a Diferença". As mudanças da grade não simbolizaram um problema tão grande para a Globo já que, desde o início da pandemia, a vontade era dar mais espaço para o Jornalismo mesmo – com isso, algumas atrações, como "Se Joga", "Encontro com Fátima Bernardes" e "Mais Você" saíram do ar indefinidamente. "Altas Horas" e "Domingão do Faustão", programas que contavam com a presença de plateia, foram substituídos por especiais com uma seleção dos melhores momentos de suas trajetórias. "Informação é, até agora, o único remédio comprovado que ajuda a conter a expansão da pandemia. E é isso que nossos jornalistas têm feito ao longo das últimas semanas. Cercados de todos os cuidados de saúde, estão mobilizados em torno de uma cobertura intensa, trazendo todos os dados e consequências que a crise de saúde pública tem trazido para o Brasil e para o mundo", declara a Comunicação Globo a este noticiário.

O canal continua: "Com a suspensão de vários programas por medidas de segurança, como novelas e programas de auditório, a Globo adaptou a sua oferta de entretenimento e está trazendo música, grandes sucessos da dramaturgia, séries inéditas, gastronomia, animação e filmes campeões de bilheteria". Algumas estreias precisaram ser adiadas por conta da interrupção das gravações. Desde a última semana, Pedro Bial voltou às redes sociais do "Conversa com Bial" para lançar a #QuarentenaDoConversa, quadro no qual o público acompanha, por meio do perfil oficial do programa no Instagram, sugestões de conteúdos que marcaram a história da atração, cujo lançamento da nova temporada foi adiado. Com o adiamento da estreia de "Simples Assim", novo programa apresentado por Angélica, a Globo colocou no ar uma edição especial do programa "Música Boa", exibido no Multishow em 2019. E a partir do dia 28 de abril, "Aruanas" passa a ser exibida nas noites de terça-feira no lugar da nova temporada de "Segunda Chamada", que ocuparia essa faixa, no entanto teve suas gravações suspensas. Por fim, com suas suas equipes dedicadas à cobertura diária da pandemia, o "Profissão Repórter" teve sua estreia adiada e o "Globo Repórter" passou a reexibir edições marcantes dos últimos anos.

Ainda na TV aberta, a Record foi outra emissora que precisou reformular a grade. Entre as principais mudanças de última hora, a suspensão das gavações da novela "Gênesis", que estrearia em breve, e a alteração nos cronogramas dos realities "Power Couple Brasil", "Top Chef", "A Ilha", "Canta Comigo Teen" e a sexta temporada de "Dancing Brasil". O "Domingo Show", programa que contava com a presença de plateia, saiu da grade e foi substituído pela sessão de filmes "Cine Maior". A novela "Amor Sem Igual", que também teve as gravações paralisadas, deu lugar para "Apocalipse", enquanto a trama "O Rico e o Lázaro" foi substituída por "Jesus". Para TELA VIVA, a emissora informa que novos horários de filme também passarão a fazer parte da grade e que toda a mudança de programação é feita em cima de pesquisas com os telespectadores. "A emissora está adaptando toda a grade para oferecer jornalismo e entretenimento na medida certa", dizem.

O SBT, por sua vez, demorou mais para precisar adaptar a grade porque ainda tinha programas inéditos para irem ao ar. O "Programa da Maisa", por exemplo, foi exibido até o último sábado, dia 4 de abril – a partir do próximo, 11, seguirá no ar com reprises. Já o "Topa ou Não Topa" ainda tem dois inéditos para irem ao ar e, depois, também seguirá no sistema de reprise. No começo da pandemia, alguns programas que contavam com a presença de plateias foram gravados sem a presença das mesmas, como o "Programa Eliana", "The Noite" e "Programa do Ratinho". Mas o canal não seguiu com o formato e também optou por reprises para as três atrações. A emissora mantém no ar todos os jornalísticos, incluindo o "Conexão Repórter", e o "Fofocalizando", programa diário com Chris Flores. O SBT é a única emissora aberta que segue com capítulos inéditos de novelas. Isso porque as gravações de "As Aventuras de Poliana" eram feitas com uma boa frente, e por isso novos capítulos serão exibidos até meados de julho/agosto. As gravações da segunda temporada da novela infanto-juvenil estão temporariamente suspensas.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2020 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top