Banda larga
11/06/2014, 13:50

Tráfego de dados dobrará em cinco anos no Brasil, diz Cisco

POR BRUNO DO AMARAL, DE BUENOS AIRES A CONVITE DA CISC

Puxado pelo consumo cada vez maior de vídeo, no Brasil o tráfego de dados dobrará entre 2013 e 2018, com crescimento médio anual composto (CAGR) de 20% e totalizando 3,9 Exabytes por mês ao final do período, de acordo com o Cisco Visual Networking Index (VNI), divulgado nesta quarta, 11. Isso significa 128 Petabytes por dia, comparado com 52 Petabytes diários em 2013. A média será de 12 Terabytes por segundo em 2018, enquanto os horários de pico terão 39 Tbps. De acordo com a empresa, isso significa que o equivalente a todos os filmes já produzidos na história poderiam trafegar nas redes brasileiras a cada hora.

"Estamos entrando na era do Zettabyte: em 2018, o tráfego global vai chegar a uma taxa anual de 1,6 Zettabyte por ano, 13 vezes mais do que em 2008", explica o diretor de service providers da Cisco América Latina, Lucas Olocco, destacando que o Brasil representa 44% de todo o tráfego IP na América Latina. O tráfego mensal na região crescerá 2,5 vezes, alcançando 8,9 Exabytes em 2018. Não quer dizer que todo o mercado latino-americano esteja seguindo o mesmo passo. "Lamentavelmente para a Argentina, o país perde a intensidade comparado a outros países, saindo de 0,33 Exabyte por mês para 0,78 Exabyte por mês.

O tráfego da Internet no Brasil vai crescer 2,4 vezes nos cinco anos do estudo, CAGR de 19%. O tráfego chegará a 3,5 Exabytes por mês em 2018, contra 1,5 Exabyte por mês no ano passado. A Cisco calcula que a quantidade do tráfego será 353 vezes o volume de toda a Internet brasileira em 2005. O pico de hora terá crescimento de três vezes, chegando a 34 Tbps em 2018. O tráfego médio terá velocidade de 11 Tbps no período.

Isso acontecerá porque, segundo a Cisco, o número total de usuários online no Brasil saltará de 81 milhões em 2013 para 142 milhões em 2018. Todavia, vale lembrar que, segundo dados da Anatel divulgados em maio, existia 22,9 milhões de acessos de banda larga fixa e 114,4 milhões de banda larga móvel (soma de acessos 3G e 4G) no País, totalizando assim 137,3 milhões em abril deste ano.

Na América Latina, segundo a companhia, haverá 371 milhões de usuários em 2018. Em 2013, a região contabilizava 235 milhões.

O usuário brasileiro vai gerar 29,9 GB por mês em 2018, crescimento de 51% em relação a 2013. A média em residências será de 78 GB por mês, aumento de 54%. Haverá no Brasil 20 milhões de domicílios (64,6% do total de residências) gerando mais de 50 GB por mês em 2018 e 5 milhões de domicílios (16,6%) gerando mais de 100 GB por mês; 3 milhões (8,6%) gerando mais de 250 GB; 442,7 mil (1,4%) gerando mais de 500 GB por mês e 734,9 mil residências (2,4%) gerando mais de 1 TB por mês em 2018. Em média, a conexão móvel vai gerar 1,515 GB de tráfego por mês em 2018, contra 147 MB em 2013.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top