TV ABERTA
13/12/2019, 19:04

TV Cultura inaugura pioneiro núcleo de acessibilidade

Nesta sexta-feira, 13 de dezembro, a TV Cultura realizou a cerimônia de inauguração oficial do Flicts, seu novo Núcleo de Acessibilidade – a data também marca o "Dia do Cego" e o aniversário de seis meses da nova gestão da emissora. O nome do Núcleo é uma homenagem ao escritor Ziraldo, autor do livro homônimo infantil que está completando 50 anos.

A apresentação da nova área foi comandada por José Roberto Maluf, presidente da TV Cultura, que declarou: "Nós somos pioneiros no Brasil nesta ação de inclusão – apesar de ser uma medida obrigatória por lei, a maioria das emissoras de televisão ainda não tem usado esse recurso. Por isso, este momento deve marcar não só a história da emissora, mas também a do audiovisual brasileiro". Maluf seguiu: "Quando se fala em acessibilidade no Brasil e no mundo, o teor do discurso adotado por muitos é de concessão de benefícios. Mas a TV Cultura e a Fundação Padre Anchieta encaram a questão com o peso e a importância que ela realmente tem. Acessibilidade é um direito – e é um dever nosso dá-lo para as 14 milhões de pessoas com deficiência do país. Pelo canal, elas podem ter acesso a conteúdos de educação, lazer, cultura e informação".

O novo Núcleo de Acessibilidade é formado por três estúdios para gravação de Libras, dois ProTools com cabines de locução para audiodescrição e, para a produção de closed caption, duas cabines para Via Voice e uma máquina de estenotipia. Com a inauguração, além de atender a demanda interna, a TV Cultura ainda oferecerá serviços de acessibilidade para outras emissoras, produtoras e empresas.

Formado por 51 integrantes, o Flicts implementou uma nova metodologia na qual além de intérpretes ouvintes, os próprios surdos também executam a interpretação de programas gravados. Por meio do roteiro da atração e da tradução bruta feita por profissionais ouvintes (português-Libras), profissionais surdos interpretam todos os elementos dos discursos produzidos pelos personagens, colocando em língua de sinais falas e expressões faciais, por exemplo. Tal método viabiliza mais uma forma de atuação de surdos intérpretes em sua própria língua.

A TV Cultura já conta atualmente com 24 horas diárias de closed caption, 20 horas semanais de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e 28 horas semanais de audiodescrição (AD), números que excedem com folga as exigências estabelecidas pela Anatel. Entre os programas da emissora que vão ao ar com os recursos, estão "Jornal da Cultura", "Roda Viva", "Jornal da Cultura Primeira Edição", "Persona em Foco" e "Planeta Terra".

Na ocasião, o presidente do canal aproveitou para relembrar momentos marcantes dos últimos meses, como a volta das transmissões esportivas na grade da Cultura; o prêmio APCA de Melhor Programa Jornalístico para o "Roda Viva"; o lançamento de "O Cristal Encantado" em parceria com a Netflix; o canal do YouTube da Cultura atingindo um milhão de inscritos; o lançamento de podcasts de produção própria; a primeira exibição em 4K, realizada na final do reality show de música clássica "Prelúdio"; entre outros. Ainda segundo Maluf, estão previstas 14 estreias para 2020, e a emissora está aberta para parcerias publicitárias para viabilizar esses planos futuros. O presidente encerrou a apresentação afirmando que a Cultura seguirá trabalhando sempre de forma "independente e imparcial".

Entre os convidados do evento desta manhã, estiveram o secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, e Paulo Vieira, diretor do Departamento de Políticas Temáticas dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2020 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top