Mercado
15/04/2016, 17:10

Dogs Can Fly unifica empresas e cria unidades de negócio

A Dogs Can Fly se reestruturou, fundiu as quatro empresas do grupo e agora é chamada Dogs Can Fly Content Co. Alexandre Grynberg, que atuou por mais de 25 anos à frente de agências de publicidade, junta-se aos sócios José Henrique Caldas e Ricardo Whately na nova empresa (na foto acima, da esquerda para a direita, Whately, Grynberg e Caldas. Foto: Guto Seixas).

A Dogs Can Fly Content Co. tem agora quatro unidades de negócios: DCF Brand Solutions, DCF Entertainment, DCF Animation e DCF Licensing. Haverá ainda um núcleo estratégico liderado por Grynberg na área estratégica e desenvolvimento de negócios; Whately em criação e planejamento de projetos; e Zé Henrique em distribuição e licenciamento.

A DCF Brand Solutions lidará com tudo o que envolve iniciativas com marcas. O núcleo atua junto a agências, canais e marcas na geração de conteúdos, produzindo de comerciais de 30" a séries inteiras de branded content. Lideram a DCF Brand Solutions os produtores Jony Luz e Monica Siqueira, e uma equipe de produtores e área comercial. No time de diretores estão: Jabuka, Victor Abreu, Raphael Gasparini, Tocha Alvez, a dupla Manimou, Bidu Magio, a dupla Alabama e a argentina Adri Lahan. A direção criativa fica com Ricardo Whately e equipe.

Já a DCF Entertianment é focada no desenvolvimento de projetos, formatos e IPs (propriedades intelectuais) originais, como séries, longa-metragens, documentários, web series e reality shows. Na liderança desta unidade de negócios está a produtora executiva Ana Monte.

A DCF Animation realiza animação, 3D, 2D e tecnologias, como produções em VR (realidade virtual).
Quem lidera esta unidade é Bidu Madio, profissional com mais de 20 anos de experiência e passagens por produtoras como Digital 21, Mixer e Blank – onde foi sócio-fundador. Bidu é responsável pela direção de arte e direção de produção dos projetos realizados, em parceria com os diretores da casa. Esteve na linha de frente de projetos como "Penadinho 3D"; "Turma da Monica"; "Astronauta" e a animação do mascote da Copa do Mundo no Brasil – o Fuleco (para a FIFA); assim como direção de efeitos, composição e arte em filmes realizados em 360º (VR).
Com a tecnologia VR, já foram realizados projetos para parceiros como NatGeo, Sony Features e Panograma, e também para clientes como a P&G. Atualmente, a DCF Animation está finalizando "Story of Jesus", primeiro feature film em VR 360º do mundo, rodado em Matera na Italia, onde  Bidu fez supervisão de set e a direção de finalização. O lançamento está previsto para dezembro de 2016.

Finalmente, a DCF Licensing é a mais nova unidade de negócios da empresa, liderada pelo sócio Zé Henrique Caldas. O núcleo trabalha a distribuição de conteúdos e entretenimentos nas diversas plataformas de comunicação (emissoras e veículos digitais), e administra os direitos do licenciamento de produtos de consumo destas propriedades intelectuais. Atualmente a DCF Licensing está desenvolvendo suas próprias propriedades intelectuais, e detém os direitos de distribuição e licenciamento da série infantil "Masha e o Urso" para toda América Latina. Desde o início do contrato com a Animacord – estudio de origem russa proprietário da série, a DCF Licensing já assinou cerca de 20 contratos de licenciamento de produtos na América Latina, incluindo cinco contratos com a indústria de brinquedos cobrindo todo o continente, além de contratos nas categorias de publicações de livros e álbuns de figurinhas, mochilas e produtos para a volta as aulas. Quanto à distribuição da série, a DCF Licensing assinou contrato com a Televisa do México, que veicula a série desde janeiro de 2016, com a Netflix, que lançou "Masha e o Urso" nos EUA e Canadá em agosto de 2015, além de contratos com distribuidores de DVD e produtores de aplicativos para mobile.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top