AGENDA
17/01/2020, 17:35

Mostra de Tiradentes divulga programação do Seminário do Cinema Brasileiro

O Seminário do Cinema Brasileiro é parte integrante da Mostra de Cinema de Tiradentes há 23 edições. A próxima, que acontece entre os dias 24 de janeiro e 1º de fevereiro, promove novamente uma série de atividades de reflexão em encontros gratuitos, realizados no Cine Teatro Sesi, no Centro Cultural Sesiminas Yves Alves.

O evento tem dois eixos: os Encontros com os Filmes e os debates. No primeiro, críticos e pesquisadores convidados discutem alguns dos longas-metragens em exibição no evento, com a presença dos realizadores e também dos espectadores. Os oito filmes da Mostra Aurora, os cinco da Olhos Livres e os dois da seção temática "A Imaginação como Potência" têm bate-papos programados, além do filme de abertura, "Os Escravos de Jó", de Rosemberg Cariry, com o homenageado Antônio Pitanga no elenco, e o da Foco Minas, "O Lodo", de Helvécio Ratton. Já os curtas da Mostra Foco serão tema de debates com a presença dos diretores, em três encontros, cada um dedicado a uma sessão.

A programação contempla ainda debates com recortes variados. No dia 25, sábado, às 10h15, a equipe de curadria da Mostra se reúne para apresentar os encaminhamentos das escolhas deste ano, em especial a temática, "Imaginação como Potência", abordando os caminhos estéticos, políticos e poéticos que os filmes têm tomado e que configuram o que pode ser chamado de "nova imaginação". Francis Vogner dos Reis, Lila Foster, Pedro Maciel Guimarães, Camila Vieira e Tatiana Carvalho Costa vão lançar proposições sobre o assunto. Na mesma data, às 12h, o ator Antônio Pitanga e a atriz Camila Pitanga participam de debate sobre suas carreiras com mediação de Pedro Maciel Guimarães.

No dia 26, domingo, às 15h30, a temática da Mostra de 2020 é assunto de debate novamente. Desta vez, os convidados são Bernardo Oliveira, professor, pesquisador, crítico de música e de cinema e produtor; Helena Vieira, escritora e pesquisadora; e Ivana Bentes, professora e pesquisadora. O grupo pretende investigar as questões acerca da função política da imaginação e o lugar do cinema nesse campo de disputa. Já no dia 27, segunda, o debate "Viver de cinema: da macro à micropolítica" parte da atual conjuntura do audiovisual brasileiro para discutir, entre outras questões, se é possível imaginar outras formas de financiamento e circulação de filmes independentes e se é tempo de negociar ou enfrentar de forma mais frontal o desmantelamento de toda uma cadeia produtiva. Participam da conversa Eduardo Valente, cineasta, curador e ex-assessor da Ancine; Jean-Claude Bernardet, ator, cineasta e crítico; e Luana Melgaço, produtora mineira. No dia 30, quinta-feira, o debate "Cosmopoéticas contra-hegemônicas", com Castiel Vitorino Brasileiro, artista capixaba; Clarisse Alvarenga, cineasta e professora; e Janaína Oliveira, pesquisadora e curadora, fala sobre o que pode o cinema num país que se assume cada vez mais diverso e conflituoso.

O Seminário é ainda espaço para que presenças internacionais dialoguem com o audiovisual do país, o que vai acontecer na mesa "O cinema brasileiro nas telas do mundo". No encontro, o grupo de convidados estrangeiros formado por Miguel Valverde, programador da IndieLisboa, de Portugal; Nuria Cubas, diretora artística do FILMADRID Festival Internacional de Cinema, da Espanha; Paola Buontempo, programadora do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, da Argentina; e Roger Koza, crítico e programador do Hamburg International Film Festival e Viennale, da Argentina, marca presença na Mostra de Tiradentes para conhecer a produção contemporânea nacional e relatar experiências, estratégias de seleção e programação de festivais internacionais, ações de cooperação e intercâmbio e o olhar estrangeiro sobre o cinema brasileiro.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2020 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top