Estratégia
17/01/2022, 20:59

Novas produções originais ganham preferência no streaming

POR POR EDIANEZ PARENTE, COLABORAÇÃO

A demanda por conteúdo audiovisual multiplataforma é crescente e, ao que tudo indica, irrefreável. Com novas plataformas de streaming nas mãos de empresas detentoras também de canais em TV por assinatura, observa-se entre os players a preferência por investimentos nos novos produtos originais que possam atender ao cliente do streaming num primeiro momento.

A grade das emissoras de TV por assinatura, por sua vez, segue abastecida pela programação de linha, recebendo os novos produtos em janela próxima.

Regra geral, players que atuam no mercado de TV linear por assinatura via operadoras, ao mesmo tempo em que administram uma carteira de clientes diretos via serviço de streaming/VOD, consideram que estes prezam pela liberdade e comodidade da escolha. Já o assinante dos canais da televisão paga é visto como um cliente fiel aos próprios hábitos de audiência.

Na semana passada, a Disney anunciou a retirada de alguns dos seus canais de variedades da TV por assinatura linear nos mercados latino-americano e brasileiro num movimento claro de direcionar conteúdos para o serviço Disney+.

Através de entrevistas com executivos de quatro empresas (Discovery, Globoplay, WarnerMedia e ViacomCBS), é possível entender um pouco melhor como cada qual trabalha sua oferta de programação e a estratégia para conteúdos nacionais pelos meios distintos (veja ao final um quadro com destaques da programação de cada uma delas).

Na WarnerMedia Latin America são nada menos do que 20 canais lineares em pay-TV, além da plataforma de streaming HBO Max. "No que diz respeito a Max Originals, introduzimos cerca de 30 títulos latino-americanos e europeus na plataforma nos últimos seis meses", contabiliza Silvia Elias, diretora sênior de Conteúdo da WarnerMedia, sobre as produções originais para o serviço que estreou no País há pouco mais de seis meses.

Na divisão da empresa, vão para o HBO Max produções icônicas e favoritas dos fãs, disponíveis pela HBO, Warner Bros. Pictures e Cartoon Network. O catálogo atualmente inclui títulos regionais Max Originals, documentários e reality shows, além de coberturas esportivas ao vivo, como a Liga dos Campeões da UEFA e, a partir deste ano, também o Campeonato Paulista de Futebol.

Entre os títulos Max Originals, constam produções como o novo drama dinamarquês "Kamikaze", o drama mexicano contemporâneo "Amarres", o jovem musical argentino "Rap na Rinha" e a brasileira "Os Ausentes".

Originais unscripted, ou não roteirizados, são também sucesso para o público do streaming. "No Brasil, lançamos 'The Cut', um reality que revelou o melhor hairstylist do Brasil, apresentado pela supermodelo Alessandra Ambrosio e 'Sandy+Chef', um show de culinária estrelado pela queridinha brasileira Sandy – que atingiu o status de Max Original local mais assistido em menos de um mês de sua estreia", conta Silvia.

Entre os Max Originals do HBO Max está "'The Cut", reality que revelou o melhor hairstylist do Brasil, apresentado pela modelo Alessandra Ambrosio.

Nos canais lineares, o caminho da WarnerMedia tem sido o de diversificar conteúdo sem perder identidade editorial. "Explorando esse universo conseguimos trabalhar pilares importantes de conteúdo que só reforçam os perfis das marcas como ação e emoções extremas para Space, cultura pop para Warner Channel e música e comédia para a TNT. Além dos melhores campeonatos e competições esportivas para TNT Sports", explica a diretora.

A Discovery, com acervo gigantesco e produção constante de novos conteúdos, tem toda uma curadoria local para sua recém-lançada plataforma Discovery+ e para o conjunto dos canais da TV por assinatura. Isso só é possível com uma estruturada equipe própria de programação e é ela quem delibera sobre os lançamentos para cada um dos dois meios: os exclusivos, os concomitantes, com estreias que vão acontecendo ao longo do mês, nos canais convencionais e no streaming.

" Para o cliente do streaming o diferencial é ter algo mais, outros tipos de conteúdo original, além de uma infinidade de produtos que vêm de fora", diz Monica Pimentel, vice-presidente de Conteúdo da Discovery Brasil.

Monica Pimentel, vice-presidente de Conteúdo da Discovery Brasil, explica: "Temos dois comportamentos diferentes e complementares. Com o consumidor que quer descansar, buscar seu canal, que tem os seus hábitos, mantemos essa fidelização, colocando determinados gêneros em determinado horário, buscando sempre sustentar o canal com as séries e os gêneros mais relevantes". Já para o cliente do streaming, ela conta, "o diferencial é ter algo mais, outros tipos de conteúdo original, além de uma infinidade de produtos que vêm de fora".

A ViacomCBS considera o Brasil um mercado chave para produção de conteúdos, de acordo com Fabricio Proti, vice-presidente sênior de ad sales para AVOD & Pay-TV na América Latina & Gerente Geral da ViacomCBS no Brasil. Segundo ele, os investimentos serão ampliados, "o que fez a empresa desenvolver um ecossistema de perfeito funcionamento onde o streaming é o eixo central e o ambiente linear já fortalecido dá embasamento e ajuda a impulsionar essa nova engrenagem, mantendo sempre o olhar atento às demandas da audiência que, principalmente, visa consumir on demand e linear em diferentes plataformas".

São seis os canais lineares da programadora no País: Nickelodeon, Nick Jr., MTV, MTV Live HD, Comedy Central e Paramount Network. No streaming, a empresa atua com o Paramount+ (assinatura) e com a Pluto TV (gratuita, sustentada por publicidade).

"A ViacomCBS desenvolveu um ecossistema de perfeito funcionamento onde o streaming é o eixo central e o ambiente linear já fortalecido dá embasamento e ajuda a impulsionar essa nova engrenagem", conta Fabricio Proti, VP sênior de ad sales para AVOD & Pay-TV na América Latina & Gerente Geral da ViacomCBS no Brasil.
Crédito foto: Paulo Mercadante.

Proti conta que o VIS, divisão da ViacomCBS responsável pelas produções, acendeu a luz verde para cinco novas produções e já está produzindo sete novas obras somente para o Paramount+ que, por sua vez, oferece uma ampla gama de produções locais e globais: "iCarly", "Dexter", "Rio Shore", "A Culpa é do Cabral", "Yellowjackets", "Rugrats", "Infinite", entre diversas outras.

Pelos lados do universo Globo, o Globoplay absorve produtos originais dos Estúdios Globos, sem prejuízo da produção para os tantos canais fechados do grupo. Há ainda parceria com as áreas de Jornalismo e Esportes da Globo, além do mercado independente de produção.

No Globoplay, a crença é na complementariedade das janelas para que o público possa assistir aos seus conteúdos preferidos onde, como e quando quiser. Quem conta é Ana Carolina Lima, head de Conteúdo da empresa: "Os números mostram que não há uma canibalização da audiência", ela diz.

Produções originais

No app Discovery+, os conteúdos são separados por categorias: Aventura e Sobrevivência; Estilo de Vida; Casa; Comida; Kids; Documentários; Paranormal; Crime e investigação; Relacionamentos; Motores; Ciência e Tecnologia, e Natureza – todos com imenso acervo e temporadas.
Na chegada do serviço, a novidade foi a estreia de novas temporadas: a versão brasileira do sucesso do canal Discovery, "Largados e Pelados", bem como uma novo programa estrelado pelos astros do "Irmãos à Obra", o "Te Devo Essa – Reforma das Estrelas", entre outros.

Para alimentar os dois meios, a Discovery local conta com várias fontes: a larga vantagem de se beneficiar da escala de produção global da marca, a produção local já constante para TV por assinatura e a parceira com as redes abertas (principalmente SBT e Band).

Monica Pimentel ressalta a robustez do volume de conteúdo: em termos de produção da América Latina, são 40 títulos chegando, além de mais 150 projetos em desenvolvimento para os próximos dois anos.

"Em relação ao Globoplay, podemos afirmar que os maiores investimentos da plataforma estão em conteúdos brasileiros com nossas produções originais. Mantemos a premissa da brasilidade, mas, claro, aproveitamos todas as possibilidades de experimentações que o streaming proporciona", diz Ana Carolina Lima.

"Segunda Chamada" está entre as séries ganham nova temporada na Globoplay.
Crédito foto: Globo/Maurício Fidalgo.

De acordo com a head de conteúdo da empresa, o número de produções originais aumentou em 90% entre 2020 e a previsão de publicações para 2022. A executiva também menciona seu catálogo internacional, com algumas produções exclusivas do serviço online.

Como estratégia de mercado, vale destacar que a plataforma adota parcerias e formatos diversos, num marketplace de conteúdo premium. Há o Globoplay, o pacote Globoplay + canais ao vivo; a parceria com o Deezer, o hub de podcasts com programas da?Globo, ?CBN e jornal O Globo, além dos combos com os serviços Disney+ e Discovery+.

Na WarnerMedia, como a plataforma HBO Max hospeda todas as marcas (marcas da HBO, Warner Bros. Pictures, Cartoon Network e DC), muitas produções contempladas na programação dos canais lineares da companhia também podem ser encontradas na plataforma. Nesse intercâmbio dos meios, Silvia Elias destaca a "Hora Max", da TV por assinatura, como uma oportunidade para se conhecer alguns dos conteúdos exclusivos por meio da exibição dos primeiros episódios das produções nos canais lineares.

Não tem fim

"O streaming é infinito", assinala Monica Pimentel, ao comentar sobre os desafios para se diferenciar as programações entre um meio e outro.
O Discovery+ começou com uma biblioteca com nada menos do que 25 mil episódios, além de novos títulos e episódios que vão sendo lançados mês a mês, com a vantagem de não ter uma grade rígida e poder se abastecer com grande quantidade de atrações do mundo todo.

A Viacom CBS vê grande conexão das suas marcas globais com os brasileiros, acreditando que a força do portfólio a coloca numa posição de vantagem para produzir um acervo grandioso de séries, filmes e animações para o Paramount+, por exemplo. "O plano é manter um diálogo aberto com nossa audiência, aprofundar o conhecimento sobre sua preferência e, ao mesmo tempo, entregar um conteúdo de qualidade e que seja relevante e atraente aos olhos do público", diz Fabricio Proti.

Na Globoplay, o catch-up da programação da TV Globo é visto como apenas um dos atrativos. "A plataforma tem uma oferta enorme de conteúdos originais, de séries e filmes internacionais renomados, entre elas produções exclusivas, que só serão exibidas pela plataforma. Além disso, entendemos que as janelas são complementares e um movimento particularmente natural e oportuno entre a TV Globo e o Globoplay, tendo em vista a singularidade desse ecossistema", afirma a head de conteúdo Ana Carolina.

Ela continua: "É estratégico para o Globoplay que milhões de pessoas que assistem à TV Globo possam conhecer melhor a plataforma, degustar seus conteúdos e, a partir disso, se interessar por tudo que ela pode oferecer. Da mesma maneira, a TV Globo se beneficia em disponibilizar alguns destes conteúdos de extrema qualidade e que possuem total aderência à sua audiência".

Telesséries

Verifica-se, por exemplo, o grande interesse da WarnerMedia pelos sucessos de audiência e talentos nacionais, a ponto de a empresa contratar profissionais de sucesso egressos da Globo no seu caminho para a produção de um formato próprio de telenovelas.

Para o Brasil, a companhia identificou o formato de telesséries como o ideal para o momento, "pois o telespectador brasileiro sempre esteve envolvido e extremamente movido por histórias melodramáticas, inicialmente oferecidas apenas em redes abertas de TV", diz Silvia Elias. Ela explica que a proposta híbrida e inovadora da telessérie combina a base do melodrama com o ritmo da série, introduzindo uma estrutura narrativa mais moderna, com cerca de 50 capítulos.

Não por acaso, a empresa anunciou a criação de um departamento de telesséries e a contratação de talentos fortes para este fim: a atriz Camila Pitanga, a diretora Joana Jabace, Flávia Lacerda, Patricia Andrade e Raphael Montes, que serão responsáveis pela criação do primeiro título de telessérie, juntamente com o novelista Silvio de Abreu como showrunner.

No Globoplay, estão previstos mais de 40 lançamentos para 2022. "Felizmente as produções estão voltando e o nosso investimento em conteúdo nacional é sempre crescente. Nossa busca permanente é pela inovação: no formato, na linguagem, em todas as nossas entregas. Buscamos sempre um conteúdo que gere identificação com o brasileiro.", atesta Ana Carolina. A executiva também celebra a parceria do grupo com o mercado de produção independente, que ela define como rica e que colabora com um olhar diverso para os produtos originais.

Vale lembrar que o BBB, atração da TV aberta com desdobramento em canal da TV por assinatura (Multishow), tem nova temporada a partir do dia 17 de janeiro. O reality show, com exibição 24h em canais simultâneos para PPV, é também um dos motores anuais de incremento de vendas de assinaturas do serviço de streaming da Globo.

"Durante a pandemia, vimos o consumo de entretenimento ter um grande salto e se consolidar como uma diversão ainda mais acessível, com o crescimento dos streamings, e desejada. Nesse mesmo período, lançamos a Pluto TV e o Paramount+ com os quais temos como prioridade dar ainda mais destaque para as produções locais", afirma Maria Angela de Jesus, diretora sênior de Produção e Gestão de Produção do VIS Américas no Brasil.

Na Discovery, sua vice-presidente de conteúdo destaca que a produção local também foi multiplicada: "Com aumento de busca de conteúdo, aumentou a demanda local. Triplicamos a produção", diz Monica Pimentel.

Na ViacomCBS, a percepção é de alta na produção, com o mercado aquecido e com uma grande demanda de conteúdos por parte do público. "Durante a pandemia, vimos o consumo de entretenimento ter um grande salto e se consolidar como uma diversão ainda mais acessível, com o crescimento dos streamings, e desejada. Nesse mesmo período, lançamos a Pluto TV e o Paramount+ com os quais temos como prioridade dar ainda mais destaque para as produções locais", afirma Maria Angela de Jesus, diretora sênior de Produção e Gestão de Produção do VIS Américas no Brasil. Segundo ela, o público brasileiro quer se ver na tela, em histórias originais, autênticas e conectivas.

Produção e pandemia

São quase dois anos de pandemia e de impacto na produção paralelamente ao aumento de consumo dos meios audiovisuais (exceto salas de cinema). No Brasil, como agravante, o setor já enfrentava desde antes da Covid-19 também lentidão e até estagnação de projetos dependentes de liberações de verbas do Fundo Setorial do Audiovisual e autorizações de captação via Ancine, num processo que ainda registra inúmeras pendências.

A Discovery foi uma das programadoras que se viu diante de mais de dez projetos parados, em diversos estágios. Alguns hits da sua programação, como "Aeroporto" e "Operação Fronteira" foram adiados.

"Por outro lado, nesses momentos, a criatividade aflora mais. O cenário ruim a gente já tinha. Fizemos um bom trabalho nesse sentido, inclusive por meio de branded content; conseguimos produzir conteúdos para cota", relata Monica Pimentel. Ela conta que foi preciso pensar em formatos da noite para o dia, que trouxeram benefícios, e shows que acabaram vendendo patrocínio: "Conseguimos nos adequar, eliminando barreiras para não ficar sem produção".

"A indústria cinematográfica brasileira está extremamente bem desenvolvida e equipada para assumir qualquer formato de projeto que nos propomos a fazer", diz Silvia Elias, da WarnerMedia.

"Temos orgulho de dizer que firmamos relações mutuamente benéficas com algumas das melhores empresas de produção disponíveis no país", afirma. Sob a liderança da head de Aquisição de Talentos, Monica Albuquerque, ex-Globo, a WarnerMedia diz estabelecer parcerias de longo prazo para múltiplas produções.

Na empresa, o objetivo é produzir mais de cem originais latino-americanas antes do final de 2022, sob o selo Max Original para séries, filmes e reality shows.

Maria Angela de Jesus, do VIS, conta sobre as novidades em originais locais: "Temos muitos lançamentos para 2022, que promete ser o ano do entretenimento. Para citar alguns conteúdos que estamos preparando, temos a série 'As Seguidoras', com Maria Bopp, que é uma comédia de humor obscuro sobre a positividade tóxica; o filme 'Os Fora da Lei', adorável comédia escrita por Guel Arraes e dirigida por Jorge Furtado; e o documentário 'Adriano, Imperador', que traz a história do jogador Adriano e sua busca pela felicidade."

Ela ainda adianta os realities, como "De Férias com o Ex: Caribe" (para canal MTV e streaming Paramount+), que chega com mais uma temporada, e o programa de humor "A Culpa é do Cabral", na 11ª temporada com humor, jogos e convidados.

 

PRINCIPAIS NOVIDADES EM CONTEÚDOS

WarnerMedia

HBO MAX (streaming) e canais Pay-TV (canais HBO e Warner Media)

"And Just Like That…" (continuação de "Sex And The City")

"Harry Potter: De Volta a Hogwarts"

Novas temporadas de "Euphoria", "Watchmen" e "The Sex Life of College Girls"

"Jornada Astral", com Angélica

"The Cut" (reality para escolha do melhor hairstylist)

"Sandy+Chef"

"Os Ausentes" (série policial nacional)

"Queen Stars Brasil" (reality de competição de canto apresentado por Pabllo Vittar e Luísa Sonza)

"The Bridge Brasil", com Murilo Rosa

Futebol: Paulistão, Liga dos Campeões

DISCOVERY

Discovery+ (streaming) e canais Pay-TV Discovery Networks

"Largados e Pelados Brasil" (produção original)

"Aeroporto – Área Restrita" (nova temporada em produção)

"Operação Fronteira" (nova temporada em produção)

"Lady Gucci – A História de Patrizia Reggiani" (documentário internacional)

"Mundo CurioZoo", "Ba-Da Bean" (originais nacionais para público infantil)

"Tô Chegando! Na Casa dos Famosos" (com Dony De Nucci)

"Te Devo Essa – Reforma das Estrelas"

Temporadas das coproduções com TV abertas nacionais:  "Masterchef Brasil", "Mestres da Sabotagem", "Te Devo Essa Brasil"

ViacomCBS

Paramount+ e Pluto TV (streaming)e Canais Pay-TV Nickelodeon, Nick Jr., MTV, MTV Live HD, Comedy Central e Paramount Network (TV por assinatura)

"As Seguidoras" (série com Maria Bopp)

"Os Fora da Lei" (longa-metragem de comédia de Guel Arraes e direção de Jorge Furtado)

"Adriano, Imperador" (documentário sobre o jogado de futebol)

"De Férias com o Ex: Caribe" (reality show nacional)

"Halo" (produção internacional)

"A Culpa é do Cabral" (série nacional de comédia, 11ª temporada)

"Ray Donnovan" (produção internacional)

Globo

Globoplay (Streaming)

"Verdades Secretas II" (primeira novela original para o streaming)

Novas temporadas das séries: "Segunda Chamada", "Aruanas", "A Divisão", "Arcanjo Renegado" e "As Five"

Novas séries originais: "Rota 66 – A História da Polícia Que Mata" (baseada em livro de Caco Barcellos), "Rensga Hits!", "As Aventuras de José e Durval"

Nova série "Rio Connection" (falada em inglês, produzida em parceria com a Sony e a Floresta)

Fonte: empresas.

Comentários

1 Comentário

  1. Avatar José lelgoy disse:

    Nunca vi tanta porcaria junto!!!

Deixe o seu comentário!

© 1996-2022 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top