STREAMING
19/01/2021, 20:05

26 milhões de contas no mundo assistiram ao filme nacional "Tudo Bem no Natal que Vem", da Netflix

A Netflix destacou o impacto do filme nacional "Tudo Bem no Natal que Vem" no anúncio dos resultados do quarto trimestre de 2020, feito no fim da tarde desta terça-feira, 19 de janeiro. Segundo a empresa, 26 milhões de contas em todo o mundo assistiram ao longa protagonizado por Leandro Hassum. O destaque sobre a produção brasileira está na carta aos acionistas, que traz informações estratégicas para investidores do serviço de streaming do mundo inteiro. 

Adrien Muselet, diretor de conteúdo e aquisição da Netflix para o Brasil, comentou o impacto global do filme: "Ficamos muito felizes com o sucesso no Brasil e no mundo de 'Tudo Bem no Natal que Vem'. Os resultados do filme mostram que a produção audiovisual brasileira tem todas as condições de conquistar uma audiência global. Que possamos continuar mostrando as diversas faces da nossa cultura, levando histórias brasileiras a milhões de pessoas do mundo inteiro". Em outubro de 2020, durante painel na Expocine, o executivo havia garantido que a empresa pretende seguir ampliado os investimentos em produção original brasileira

Leandro Hassum, protagonista do longa, também falou sobre os resultados: "Acreditei na história desde seu primeiro rascunho, especialmente porque falava da família, dos costumes do nosso país e da importância do amor. Sinto tanto orgulho em ver a arte e a cultura brasileira atravessarem fronteiras com nossa tradição e alegria singulares. Hoje, receber este resultado, especialmente neste ano, em que todos aprendemos a duras penas o real valor do tempo, da família e dos momentos juntos, gera um sentimento ainda mais sensível pra mim, que resumo em gratidão e orgulho". 

A carta aos acionistas da Netflix concentra em um extenso documento os resultados e previsões do serviço de streaming. Na abertura, a empresa diz: "2020 foi um ano incrivelmente difícil, com perdas extraordinárias para tantas famílias, novas restrições com as quais nenhum de nós jamais teve que conviver e grande incerteza. Estamos imensamente gratos por, nestes tempos desafiadores, termos sido capazes de fornecer aos nossos membros ao redor do mundo uma fonte de fuga, conexão e alegria enquanto continuamos a construir nosso negócio. Com 8,5 milhões de adições líquidas pagas no quarto trimestre, ultrapassamos a marca de 200 milhões de assinaturas pagas. Para o ano inteiro, adicionamos um recorde de 37 milhões de membros pagos, alcançamos US$ 25 bilhões em receita anual (+ 24% ano a ano) e aumentamos o lucro operacional em 76% para US$ 4,6 bilhões". 

Em outro trecho, a carta aborda a chegada de novos concorrentes no mercado de streaming: "O grande crescimento em streaming de entretenimento levou concorrentes como Disney, WarnerMedia e Discovery a competir conosco de novas formas, o que esperávamos há muitos anos. É, em parte, por isso que temos nos movido tão rapidamente para crescer e fortalecer ainda mais nossa biblioteca de conteúdo original em uma ampla gama de gêneros e nações. Nossos dados do quarto trimestre destacam a amplitude e a diversidade de nossa oferta de entretenimento". 

Na sequência, o texto fala do sucesso de algumas produções em língua inglesa da plataforma, como a quarta temporada de "The Crown" e a recém-lançada "Bridgerton". Outros destaques foram o filme original "The Midnight Sky", estrelado e dirigido por George Clooney, que foi assistido por aproximadamente 72 milhões de contas nas quatro primeiras semanas de lançamento. 

Já em relação aos títulos locais, a Netflix destaca "Barbarians", uma série de ação da Alemanha; "Sweet Home", produção coreana de terror; e "Alice in Borderland", thriller de ficção científica do Japão. "Embora projetados para ter muito impacto no país de origem, vemos muitos casos de nossos originais locais viajando de forma mais ampla", conta a empresa. "Por exemplo 'Lupin', uma série sobre assaltos em francês repleta de adrenalina lançada no início de janeiro que atingiu o segundo lugar em nossa lista dos dez melhores dos EUA e ficou em primeiro lugar em dezenas de outros países, incluindo Brasil, Argentina, Alemanha, Itália, Espanha, Polônia, Vietnã, Filipinas e muitos outros", cita. 

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2021 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top