Publicidade
Início Newsletter (Pay-TV) Siaesp e Apro se opõem a manifestação conjunta do audiovisual independente

Siaesp e Apro se opõem a manifestação conjunta do audiovisual independente

O Siaesp – SIAESP – Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo e a Apro – Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais se opuseram a uma manifestação conjunta entre mais de 100 entidades e instituições ligadas ao audiovisual pela aprovação do Projeto de Lei 8.889/2017, que trata da regulação e tributação do streaming e tramita atualmente na Câmara dos Deputados.

Siaesp e Apro temem que que a aprovação do PL 8.889/2017, que trata do streaming na Câmara dos Deputados, sem ter apensado o PL 2.331/2022, que foi aprovado no Senado e que trata do mesmo tema, criará uma disputa entre as casas legislativas. “Na situação de dois projetos aprovados, um em cada Casa, a outra não vai pautar e aprovar o projeto concorrente. O maior prejudicado será o setor que ficará sem a regulação do VOD. A regulação do VOD ficará refém de disputas entre as Casas”, aponta as duas entidades em manifestação divulgada nesta segunda, 20.

Veja o documento da Siaesp e Apro na íntegra:

Prezados empresários,

Estamos acompanhando ambos os projetos, agora na Câmara dos Deputados, e sobre as suas tramitações.

Conforme deliberamos na reunião do grupo ‘Regulação do VoD – Empresários da Indústria Audiovisual” na última terça-feira, o Siaesp e a Apro têm se manifestado de que o projeto do Senado (2331) seja apensado ao projeto da Câmara (8889), resultando com isto num único texto com o melhor de cada um deles em prol da produção brasileira independente.

O entendimento entre as duas casas legislativas resultará num texto melhor e mais adequado para acomodar os interesses diversos, mas acima de tudo permitirá a aprovação desta Lei de regulação do VoD tão esperada e aguardada há mais de 7 anos.

A aprovação do projeto da Câmara (8889) SEM que seja apensado o projeto que veio do Senado criará uma situação difícil: DOIS projetos aprovados, um em cada casa, aguardando para serem revisados na outra casa. Um projeto aprovado no Senado, vai para a Câmara para revisão. E vice-versa. Na situação de 2 projetos aprovados, um em cada Casa, a outra não vai pautar e aprovar o projeto concorrente. O maior prejudicado será o setor que ficará sem a regulação do VoD. A regulação do VoD ficará refém de disputas entre as Casas.

O PL 2331 foi durante a sua tramitação no Senado aperfeiçoado e melhorado, apesar de ainda não atender totalmente as demandas da indústria audiovisual brasileira independente. O caminho natural seria a Câmara juntar este projeto que chegou do Senado ao projeto existente na Câmara, produzindo um novo texto, com melhorias a serem negociadas. O Siaesp e a Apro, assim como fizeram no Senado, vão atuar fortemente para aprovar novas emendas na Câmara, caso este processo aconteça. Ampliar o valor da Condecine e que a incidência seja sobre o faturamento bruto; que a destinação dos recursos seja exclusiva para aquisição de conteúdo brasileiro independente, portanto sem a permissão de produção de originais ; aumentar o percentual da Condecine que possa ser investido diretamente; ampliar a cota de conteúdo além e da inclusão da produção publicitária nesta regulação.

O PL 8889 da Câmera precisa ser modificado trata de assuntos não relacionados à regulação do streaming, cria desequilíbrios e cria mais amarras na aplicação dos recursos do FSA. Da forma que está permite que empresas de radiodifusão invistam em conteúdo próprio.

Reforçamos que a solução o projeto 8889 apensar o projeto que chegou do Senado, e que seja produzido um novo projeto na Câmara que atenda as demandas do setor da produção industrial audiovisual do país, de forma equilibrada e efetiva.

Estamos trabalhando para isso, mas, no entanto, como existe a possibilidade real dele entrar em votação, o Siaesp e a Apro estão articulando emendas e trabalhando em diálogo com lideranças da Câmara, na busca do convencimento, ignorando a polarização, as fake News e narrativas mentirosas.

Novamente lastimamos que não exista acordo, neste momento, entre o Senado e Câmera, tornando o tema, absolutamente relevante para o setor, foco de uma disputa política que vai muito além das pautas da indústria audiovisual.

Estamos sempre à disposição para compartilhar e esclarecer as estratégias que estão sendo adotadas, mas julgamos que devemos evitar manifestações públicas, que alimentam conflitos e aumentam a polarização através da imprensa, nas redes sociais e grupos de whatsapp, pelo menos neste momento de diálogos e articulações.

Saudações,
Andre Sturm, presidente do Siaesp
Marianna Souza, presidente executiva da Apro

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile