Publicidade
Início Newsletter (Tela Viva) 1º São Paulo Food Film Fest exibe mais de 40 filmes, de...

1º São Paulo Food Film Fest exibe mais de 40 filmes, de 15 países, e promove ciclos de debates

A partir do dia 6 de outubro acontece o primeiro SÃO PAULO FOOD FILM FEST, que marca o Mês da Alimentação. A celebração foi escolhida pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) com o objetivo de envolver os governos e a população na luta contra a fome, a desnutrição e a pobreza.  “Nosso propósito é trazer, através do cinema, temas urgentes para discussão sem deixar de promover a experiência sensorial que a gastronomia traz”, conta Daniela Guariba. “Um Festival para comer com os olhos e também alimentar a alma. Afinal, comida é cultura!”, completa André Henrique Graziano. Ambos são idealizadores do evento.

Entre os dias 6 e 12, serão exibidos mais de 40 filmes de 15 diferentes países, clássicos da ficção e documentários contemporâneos ligados à comida, à cultura e aos sistemas agroalimentares. Os títulos serão exibidos de forma híbrida e gratuita em São Paulo (no Espaço Itaú Augusta – Anexo e Cinemateca Brasileira). Ao longo da programação, os espectadores terão a oportunidade de participar de ciclos de debates, além de degustações de pratos do cinema após algumas das exibições presenciais. Já o público de casa poderá assistir os filmes através da plataforma oficial

Completam a programação do evento algumas oficinas para o público infantil que será convidado a colocar a mão na massa e a entender como funcionam as animações em stop motion.

O Festival 

O evento comemora os 35 anos do filme “A Festa de Babette” (foto), baseado na obra de Isak Dinesen, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1988. O clássico se passa numa remota aldeia Dinamarquesa, dominada por uma tradição puritana, onde duas irmãs solteiras recordam com nostalgia a sua juventude. A chegada de Babette de Paris, fugindo ao terror da repressão à Comuna de Paris, mudará as suas vidas. Acolhida como empregada, anos depois, Babette ganha uma fortuna numa loteria em Paris e tem a oportunidade de corresponder à bondade e calor humano com que foi recebida, organizando uma opulenta festa com os melhores pratos e vinhos da gastronomia francesa. 

A curadoria vai além e traz também títulos japoneses, como o inusitado “Tampopo – Os Brutos Também Comem Espaguete”, de Jûzô Itami, e o marroquino “Adam”, de Maryam Touzani. No primeiro, uma comédia japonesa cult, Tampopo é uma viúva dona de restaurante determinada a dominar a arte do lámen – tradicional macarrão de origem chinesa. Em sua saga, ela é orientada por Goro, um misterioso motorista de caminhão especialista no assunto. Já o segundo, uma sensível trama que se desenrola no Marrocos, deixa emergir, além de uma atmosfera cheia de aromas de pães e doces, o drama das mulheres e o machismo estrutural da sociedade marroquina.

A programação ainda traz obras temáticas como “Os Cervejeiros da Vez”, de Aaron Hosé; “Brewmance: Amor pela Cerveja”, de Christo Brock; “Os Caçadores de Trufas”, de Michael Dweck e Gregory Kershaw; “O Nascimento do Saquê”, de Erik Shirai; e “Pão: O Milagre de Cada Dia, de Harald Friedl, entre outros.

Muitos filmes nacionais também foram selecionados para a mostra. Entre eles, está

“Antes do Prato”, de Carol Quintanilha, que fará a sua première em São Paulo no Festival. Uma realização do Greenpeace Brasil, o documentário vai a três regiões do Brasil e mostra uma mobilização social potente e diversa para combater a fome, gerar saúde e garantir um meio ambiente em equilíbrio para toda a população.

Outro título que fará sua estreia nas telonas é o “A Terra e o Prato”, de João Grinspum Ferraz e Fábio Meirelles. Com acesso aos melhores chefs do mundo, revela como algumas das mais proeminentes figuras da gastronomia pensam a respeito das mudanças na indústria alimentar – incluindo seu território, suas diferentes culturas, sua criatividade e a forma como moldam sua relação com a natureza e a sustentabilidade.

Títulos como “Estômago”, de Marcos Jorge, que aborda a um só tempo, criatividade na cozinha e o pernicioso sistema carcerário brasileiro, até documentários como “A Grande Ceia Quilombola”, de Ana Stela Cunha e Rodrigo Sena, que retrata uma cultura repleta de saberes, que nutre respeito ao alimento e onde a comida tem um papel fundamental de coesão social, também farão parte da programação.

Ciclos de debate 

Neste momento, em que a fome volta assolar o país, atingindo 33,1 milhões de pessoas, como demonstram os dados do 2º Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil de 2022, os idealizadores do Festival apostam em alguns títulos com temas controversos, que visam colocar em pauta assuntos urgentes para discussão.

Os filmes “Agricultura Tamanho Família”, “À Procura de Mulheres Chefs” (“The Goddesses of Food”), “Quentura”, “A Grande Ceia Quilombola”, “Uma História de Desperdício” (“Wasted! A Story of Food Waste”) e “Cooperativa Park Slope” (“Food Coop”) serão exibidos online e sucedidos de mesas com convidados para debates de temas relevantes como Agricultura e Fome, Gênero na Cozinha, Comida Ancestral, Produção e Desperdício, Consumo Consciente e Economia Solidária.

O SÃO PAULO FOOD FILM FEST é viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Tem a apresentação do Grupo Carrefour Brasil e apoio da Ticket, uma marca Edenred e Consigaz. É uma produção da Química Cultural. A realização é da DOC e Outras Coisas, da Secretaria Especial de Cultura e do Ministério do Turismo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile