Publicidade
Início Newsletter (Pay-TV) “Só Se For Por Amor”, nova série original da Netflix, fala de...

“Só Se For Por Amor”, nova série original da Netflix, fala de romance e sonhos através do universo do sertanejo

SO SE FOR POR AMOR. (L to R) FILIPE BRAGANCA as TADEU, LUCY ALVES as DEUSA in SO SE FOR POR AMOR. Cr. Vans Bumbeers/Netflix © 2022

Sonhos e música dão o tom da nova série original da Netflix, “Só Se For Por Amor”. Com estreia nesta quarta-feira, dia 21 de setembro, o título ambientado em Goiás é recheado de canções originais, além de clássicos já conhecidos e amados pelo público. É o caso de “Evidências”, popularizada por Chitãozinho e Xororó, que se junta a outros sucessos que provam que o brasileiro ama e sofre por amor de maneira única e em todos os ritmos – do forró de Barões da Pisadinha ao axé da Banda Eva e o pop de Anitta – também presentes na trilha sonora da produção.

“A série se afasta do musical clássico, isto é, onde há a suspensão do tempo e todos entram para cantar. Aqui, as músicas entram de forma orgânica na dramaturgia – é algo que fizemos questão. São vários momentos bonitos e tentamos que as músicas potencializassem os sentimentos de cada um deles. As músicas estão ali para realmente contar uma história, e não só para criar um clima. Trabalhamos o tempo inteiro com os atores justamente essa questão do que as músicas estavam dizendo – elas foram por vezes o centro do processo de preparação dos atores, que entendiam melhor e cena e o personagem a partir das músicas. Foi outro jeito de trabalhar, de ensaiar cada cena. Um desafio diferente”, contou Ana Luiza Azevedo, uma das diretoras da série, em entrevista exclusiva para TELA VIVA. 

Na trama, o casal de músicos Deusa (Lucy Alves) e Tadeu (Filipe Bragança), ela da Paraíba e ele goiano, percorre as estradas de Goiás ao lado de sua banda, a Só Se For Por Amor, em busca do sucesso. Os irmãos Valdo (Micael) e Nelton (Adriano Ferreira), além do baterista Patrício (Giordano Castro), completam o conjunto. Quando viralizam, Deusa recebe uma proposta de carreira solo do poderoso empresário César Marcolo (Gustavo Vaz), que vai contra o instinto de sua esposa e sócia Ana Lígia (Ana Mametto).

Ao aceitar a oportunidade de se tornar uma grande estrela, Deusa acaba gerando abalos em seu relacionamento. Os conflitos se intensificam quando a banda sai em busca de uma nova vocalista no Bar do Corno, comandado por Gorete (Laila Garin). E ainda quando Tadeu e o grupo conhecem a cantora Roberta (Luiza Fittipaldi) e a misteriosa Eva (Agnes Nunes), que deseja emplacar uma música no topo das paradas, custe o que custar. 

O elenco traz ainda nomes como Jeniffer Nascimento, Bruno Fagundes, Leona Jhovs, Alexandre Menezes e Clarissa Müller, além das participações especiais de Marcélia Cartaxo, Leo Jaime, Day Camargo e Solange Almeida. 

Assista ao trailer: 


“Falamos tanto de diversidade no Brasil… Mas é engraçado porque, às vezes, o próprio público quer ver na tela aquele Brasil tropical que já é mostrado, que já é visto. Nós, como produtores e criadores do audiovisual, temos esse desafio, de mostrar de fato sua diversidade. Aqui, mostramos o Centro-Oeste, esse lugar que é tão forte na música, nessa indústria. Isso, na tela, pode ser sim uma novidade. Assim como era pra mim mesma quando entrei no projeto”, revelou Ana Luiza. “Comecei a me aprofundar e fiquei muito impactada com tudo o que já existe. Conhecia, claro, a música sertaneja. Muito mais da música sertaneja de raiz do que de hoje em dia, que tem esse público enorme, presente no país inteiro”, completou. 

O showrunner Luciano Patrick, também roteirista e criador, é de Campo Grande e sempre teve um forte interesse por esse universo da música. “O desejo de contar e de ambientar essa série no Centro-Oeste veio muito dele. Mas mais do que mostrar a região e esse movimento de fortalecimento do sertanejo, buscamos de fato a diversidade. A série tem sotaques diversos, na própria escolha do elenco fomos buscar pessoas de todo o Brasil. Há um colorido muito grande. E ao mesmo tempo em que falamos das buscas, do ir atrás dos sonhos e dos desejos nesse meio musical, poderíamos falar sobre qualquer outro universo. Essa escolha veio muito da ligação direta do Patrick”, analisou a diretora. 

“Uma das coisas mais legais que a série tem é que propomos uma releitura de músicas que já são bastante conhecidas pelo público, buscando novos registros. São músicas alegres em interpretações mais tristes e vice-versa, por exemplo. Ao escolher as músicas para cada cena pensamos muito nisso, no desafio de reapresentar as músicas com as vozes do nosso elenco, que traz inclusive novos sotaques para elas. Foi um desafio muito gostoso”, relembrou. 

Por fim, Ana Luiza falou sobre as expectativas de lançamento da produção tanto no Brasil quando nos outros territórios em que ela estará disponível. “Um dos elementos mais ricos da série é a música – as histórias de amor, sonhos e desejos vêm através da música. E a música brasileira sempre viajou muito bem, despertou o interesse do público de fora. É mais um ponto a favor da série – que potencializa e desperta o desejo de assistir”, concluiu. 

Realizada pela Coração da Selva para a Netflix, “Só Se For Por Amor” é dirigida por Ana Luiza Azevedo, Gisele Barroco e Joana Mariani, com direção musical de Ricco Viana e Ruben Feffer. A produção é de Geórgia Costa Araújo e do showrunner Luciano Patrick, que é também roteirista e criador da série. 

(Foto: Vanessa Bumbeers / Netflix)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile