TV por assinatura
25/07/2006, 17:46

Pequenos operadores de cabo buscam solução para digitalização

POR REDAÇÃO

Um dos grandes desafios de pequenos operadores de TV por assinatura que buscam oferecer conteúdos digitais são os pesados investimentos necessários. Segundo Antônio Salles, diretor de tecnologia da Viacabo, que participa da sessão "Bits entre pequenos", a ser realizada na ABTA 2006, na próxima semana, este investimento pode chegar a R$ 1 milhão por headend, dependendo do número de canais. A Viacabo e outros operadores estão trabalhando, há dois anos, na idéia de criar um modelo compartilhado entre operadoras e fornecedores, de modo a permitir que esta digitalização seja mais barata e rápida. O Projeto Thor, como foi batizada a iniciativa, está agora entrando em sua fase de testes finais e será apresentado no Congresso da ABTA. Segundo Salles, trata-se de um projeto que teve como base experiências na Índia e Chile, que têm problemas mais parecidos com os brasileiros. O projeto foi patrocinado pela Conax, empresa norueguesa ligada à Telenor que oferece soluções de redes digitais e acesso condicional. Trata-se de um serviço no modelo ASP (Application Service Provider), "com serviços de recepção dos canais, formatação, agregação, codificação, transporte e provisionamento de acesso unificado", diz Salles. A idéia é que as empresas interessadas unam-se contratualmente, como acontece hoje com a Neo TV (associação de compra de programação), para a aquisição de um serviço comum. O Thor agrega e formata o conteúdo, oferecendo um único feed digital e unidades integradas de transmodulação, que fazem o papel de IRD, multiplexer e modulador. "O sistema de acesso condicional (CAS) também é integrado. O custo das caixas digitais de assinantes será próximo de US$ 70 e o investimento por headend em torno de US$ 20 mil. A infra-estrutura pesada será pulverizada em despesa mensal, na modalidade usualmente adotada para programação. Os custos sobem junto com a base de assinantes", diz Antônio Salles. Tudo funciona como o projeto HITS (Headend In The Sky), desenvolvido na década de 90 pela TCI, com a diferença que vários operadores diferentes compartilham a mesma tecnologia. Antônio Salles prefere chamar o projeto de um DTO (Direct to operator), em analogia ao DTH (Direct to home).

ABTA 2006

A sessão "Bits entre pequenos" acontece no dia 3 de agosto, às 11:00, e terá ainda a presença da TVC Marília e da TV Cidade. Também durante o Congresso ABTA 2006 outra sessão discute os aprendizados e experiências acumuladas das operadoras de cabo que já se digitalizaram, representadas pela Net Serviços, TVA e Vivax. A sessão "Cabo e MMDS digital: balanços e perspectivas" acontece no dia 1, às 14:00. Mais informações sobre o Congresso ABTA 2006, sobre a exposição e sobre como fazer inscrições para as sessões estão disponíveis no site www.abta2006.com.br ou pelo telefone (11) 3120-2351.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top