CINEMA
27/06/2022, 22:58

"Seguindo todos os protocolos" estreia nos cinemas em 30 de junho por meio da "Sessão Vitrine"

"Seguindo todos os protocolos", primeiro longa solo do diretor recifense Fabio Leal, fala sobre a solidão do isolamento social na fase mais aguda da pandemia de Covid-19. O filme estreia nos cinemas nesta quinta-feira, dia 30 de junho, por meio da Sessão Vitrine, nas cidades de Aracaju, Balneário Camboriú, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. 

Exibido no Olhar de Cinema de Curitiba e vencedor do Prêmio Helena Ignez no Festival de Tiradentes de 2022, o longa resgata dois personagens do último curta metragem, do diretor, "Reforma", e acompanha Chico, interpretado também por Leal, que, sozinho em seu apartamento, vê os dias passando, com marasmo e ansiedade em um momento de recrudescimento da pandemia. Em sua solidão, é cada vez mais tomado pelo desejo do contato humano, e, em especial, do sexo. Disso, nascem formas alternativas de reencontros e a procura de uma maneira de tocarmos uns aos outros com segurança. Assista ao trailer: 


"Foi muito tempo sozinho com medo da morte, medo do desgoverno brasileiro, medo do encontro com o outro. Achei que uma boa forma de enfrentar esses medos todos seria fazendo um filme e tentando achar formas de distensionar através da ficção e da comédia", disse Leal por meio de nota. 

O diretor, que já fez curtas, como "O Porteiro do Dia", explica que não sentiu um peso grande ao dirigir seu primeiro longa sozinho – ele já fez "Deus tem AIDS" (codirigido por Gustavo Vinagre) e o coletivo "Furious Desires". "Foi um desdobramento natural. Acho que já tinha tanta tensão pelo momento em que estávamos da pandemia, o orçamento restrito do filme e eu dirigir e protagonizar ao mesmo tempo que eu nem me permiti pensar em nada mais", analisou. 

Como ator, Leal trabalhou em seus curtas e também no longa "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, e conta que atuar o ajuda, como diretor, a compreender que não existe uma fórmula. "Cada ator tem sua forma própria de trabalhar, seu jeito de ser, não dá pra chegar impondo nada. Como diretor, eu proponho um norte e juntos vamos chegar onde conseguimos. O fato de ser ator também me dá um senso de improviso muito grande, de ler o momento e às vezes mudar completamente uma cena na hora de filmar se surgir uma ideia melhor do que a prevista antes". 

A Sessão Vitrine 2022 foi contemplada pelo PROAC Direto 38/2021, programa de fomento do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2022 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top