ESTUDO
29/06/2022, 19:31

O Futuro da Experiência em Vídeo é o tema de novo estudo global produzido pela divisão de mídia da Kantar

O estudo "The Future Viewing Experience – O Futuro da Experiência de Vídeo", lançado nesta quarta-feira, dia 29 de junho, no Brasil e em outros mercados globais pela divisão de mídia da Kantar, aborda o comportamento da audiência e as previsões de como será o consumo e a distribuição do vídeo pela TV linear e plataformas streaming o longo dos próximos anos. O relatório apresenta as tendências e oportunidades relacionadas à vivência dos espectadores, oferecendo novos horizontes e exemplos de inovação no formato que vão impactar todo o setor.

A pesquisa fornece dados relacionadas à distribuição de vídeo, produções independentes e de grandes estúdios, com marcas consolidadas, globalização de conteúdos, possibilidades múltiplas de modelos de negócio e estratégias de diferentes playersdo mercado de mídia para crescimento e fidelização do público. Desenvolvido de forma ampla para o segmento, com o objetivo de trazer as mais recentes inovações para anunciantes, agências e produtores de conteúdo, o estudo também aponta novas oportunidades na área da publicidade e na relação de valor com os clientes.

"Estamos presenciamos uma revolução no mercado de vídeo e o Brasil é parte relevante desse movimento. Muitas das tendências que identificamos fornecem oportunidades de monetização e valor para a indústria. Esse cenário amplifica a necessidade de dados amplos, que ganham ainda mais relevância para todos os players.  Esperamos que 'O Futuro da Experiência de Vídeo' possa ajudar na criação de novas estratégias de crescimento", comenta Melissa Vogel, CEO da Kantar IBOPE Media no Brasil.

Telas e distribuição: a batalha pelo consumo de vídeo em casa 

O futuro avança para a distribuição de conteúdo em vídeo via IP. A era dos set-top boxes se aproxima do fim e os dispositivos móveis não são ideais para vídeos longos. Esse caminho prevê um papel fundamental para as Smart TVs. Esse movimento ocorre simultaneamente à integração vertical realizada pelas grandes empresas de mídia, que decidem lançar serviços para alcançar diretamente o consumidor. Esse cenário propicia um aumento na relevância das franquias de conteúdo, já que a integração tem como princípio a propriedade intelectual. Um bom exemplo é a Marvel, que segundo dados do Target Group Index 2021, possui 53 milhões de fãs em quatro mercados europeus importantes. Na questão de conteúdo, inverte-se o trajeto anterior e agora caminha-se do local para o global, com plataformas estimulando produções em diversos países.

Novas estratégias para crescimento, fidelização e monetização de público

As inovações da área de mídia e distribuição permitem que os consumidores tenham grande oferta de escolhas para aproveitar melhor a experiência do vídeo. Nessa nova etapa, TV Linear e plataformas de SVOD e AVOD terão de encontrar as melhores formas para entregar os conteúdos para os espectadores. O estudo aponta iniciativas locais e globais de como os produtores de conteúdo vêm lidando com o desafio de ser manter relevante meio a um cenário cada vez mais competitivo.

Novas oportunidades de crescimento para publicidade

Mudanças na experiência de vídeo e o crescimento das produções de conteúdo também impactam diretamente a publicidade. Por isso, o setor deve procurar novas maneiras de criar campanhas significativas. Algumas das possibilidades de investimento na publicidade endereçável, e que envolvem aparelhos conectados, são o posicionamento dinâmico do produto, com publicidades distintas para cada usuário de acordo com os dados disponíveis, estratégia de "shoppable content" – que permitiria ao espectador comprar produtos que estão aparecendo em qualquer tipo de tela –, compras ao vivo e marketing omnicanal.

Tudo envolve dados: a troca de valor do espectador 

Com o fim dos cookies e o aumento de leis a favor da privacidade dos usuários, as empresas precisarão achar novas formas de se comunicar com os consumidores – seja para mensuração, seja para segmentação. O relatório apresenta algumas soluções para o futuro, como a segmentação por dispositivo, a necessidade de ir além do demográfico e a urgência na parceria de dados.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2022 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top