Produção audiovisual
30/03/2016, 16:42

Decreto cria a São Paulo Film Commission

O prefeito Fernando Haddad assina nesta quarta, 30, o decreto que cria a São Paulo Film Commission. O documento permite à entidade centralizar as solicitações de filmagem na cidade, reduzindo o tempo gasto para garantir as autorizações necessárias. "As reclamações são frequentes sobre a burocracia que existe para filmar em São Paulo. O decreto fixa prazos muito rígidos para a administração responder às demandas da indústria", destacou, em encontro com imprensa, o prefeito.

Além do decreto, um Projeto de Lei deve ser encaminhado à Câmara dos Vereadores em breve, dando um embasamento jurídico mais firme ao novo órgão.

O secretário Nabil Bonduki, Fernando Haddad e Alfredo Manevy no anúncio da film commission

O secretário Nabil Bonduki, Fernando Haddad e Alfredo Manevy no anúncio da film commission

Atualmente, produtores audiovisuais chegam a percorrer dez guichês diferentes, dependendo do tamanho da produção, para conseguir as autorizações para rodar um filme, série ou anúncio de TV. Com as mudanças, o produtor preencherá apenas um formulário online, cujo tempo limite para resposta fica entre dois dias úteis (no caso de peças publicitárias) e sete dias úteis (para as demais obras audiovisuais).

No Cadastro Único de Filmagens e Gravações, produtoras informam as necessidades da produção e dados da empresa solicitante. A partir daí, a São Paulo Film Commission, departamento da Spcine, assume a negociação com os órgãos envolvidos na liberação de ruas, parques e outros espaços para filmagem.

"Hoje uma obra de publicidade pode demorar até 20 dias para conseguir autorização para filmar, dependendo do local. A film commission vai dar previsibilidade para as produtoras e os parceiros. Uma produtora  me disse que no ano passado perdeu R$ 30 milhões para outras cidades por causa das dificuldades. Vamos deixar de perder filmagens para outras cidades", comemorou o presidente da Spcine, Alfredo Manevy.

O cadastro também alimentará a Spcine com dados sobre as produções que acontecem na cidade. Hoje os números que se têm são apenas estimativas. Isso permitirá que se crie uma série histórica de produções em São Paulo.

O órgão será coordenado por Tammy Weiss, que trabalhou na mesma área na prefeitura de Santos (SP).

Preços

O decreto deve trazer uma tabela com os valores que serão cobrados para a realização das filmagens. Será uma tabela pública de descontos. "O decreto traz a tabela de descontos de 40% a 80%, dependendo do tipo de produção. Documentário vai ter praticamente gratuidade, enquanto publicidade vai pagar mais caro, pois tem mais verba, mas exige mais rapidez na liberação das licenças. A tabela vai ter coerência com os tipos de produção", destacou Manevy.

Facilidades

A São Paulo Film Commission começa a construir uma base de dados com os serviços e profissionais do audiovisual disponíveis na cidade, como forma de incentivar arranjos produtivos locais e fortalecer a mão de obra do território.

Por meio do Selo Spcine, diferentes prestadores de serviços poderão se identificar como parceiros da empresa, oferecendo benefícios para produtores audiovisuais.

Serão três categorias: "Eu Sou Cenário", para espaços que disponibilizem sua locação para filmagem; "Amigo do Cinema", o serviço ou comércio oferece desconto nos preços para produções audiovisuais; e "São Paulo É Cenário", para prédios públicos que têm disponibilidade automática para filmagem.

O dados estarão disponíveis no app da São Paulo Film Commission. O aplicativo, que também terá uma versão web, oferece ao produtor audiovisual um manual de como deve proceder para filmar em São Paulo, como também o cadastro único para obtenção de autorizações e o banco de dados de serviços, mão de obra especializada e um cadastro em permanente atualização das locações ofertadas pela cidade.

Comissão

A partir da assinatura do decreto, será constituído um Conselho de Filmagens e Gravações do Município de São Paulo, formado por órgãos da administração municipal direta e indireta. O colegiado, que deverá se reunir anualmente, fará a análise e sugestão dos preços cobrados pelo poder público para a prestação de serviços e locação de espaços da Prefeitura de São Paulo.
Participam representantes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), SPTuris e das secretarias municipais de Governo, Cultura, Verde e Meio Ambiente, Transportes, Finanças e Coordenação das Subprefeituras.
A CET também terá um funcionário para atuar como ponto focal junto à São Paulo Film Commission para os pedidos de filmagens e gravações que envolvam vias públicas.

Campanha

Junto à assinatura do documento, a Spcine lança a campanha "São Paulo é cenário". O vídeo conta com depoimentos de nomes importantes do cinema nacional, entre eles, os cineastas Fernando Meirelles e Anna Muylaert, os produtores Caio Gullane e Sara Silveira, e os atores Wagner Moura, Denise Fraga e Alessandra Negrini, que enaltecem e promovem a cidade como cenário para todo tipo de produção.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top