Paramount+ faz "limpa" e retira grande parte das produções originais nacionais do seu catálogo

"Drag Race Brasil" (Foto: Divulgação)

Sem qualquer aviso prévio aos assinantes, o Paramount+ fez uma verdadeira limpa em seu catálogo – especialmente de produções originais nacionais. Títulos lançados há relativamente pouco tempo e que, na época de suas estreias, foram divulgados como grandes apostas da plataforma, simplesmente não estão mais disponíveis. Entre eles, estão o reality "Drag Race Brasil", lançado em agosto de 2023; a série infantil "Marcelo, Marmelo, Martelo", de julho de 2023; e o longa de comédia "Escola de Quebrada", de março de 2023. "As Seguidoras", que foi a primeira série de ficção original do Paramount+ no Brasil, também não está mais disponível no streaming do grupo, assim como os documentários originais "Coração Suburbano" e "Funkbol". 

O programa "Beija Sapo", uma parceria entre MTV, Pluto TV e o aplicativo de relacionamento Tinder, foi lançado em setembro do ano passado, com uma enorme campanha de divulgação, e também faz parte da lista de produções que o público procura na plataforma de streaming e não encontra. Até programas clássicos da MTV que iam bem de performance no serviço, como "Rio Shore", sumiram do catálogo. Aliás, a situação do "Rio Shore" é ainda mais espantoso: a quarta temporada, que já estava totalmente gravada e editada, não será exibida. Os programas do Comedy Central também foram afetados: "A Culpa é do Cabral", atração mais longeva do canal, aparece na plataforma somente com o especial de temporada única "Na Estrada". 

Ao pesquisar a aba de "produções nacionais" no Paramount+, o usuário encontra um número bem pequeno de opções: são apenas 15 títulos, sendo que só um deles é um produto original Paramount+, a série "Anderson Spider Silva". 

Para os produtores, esse tipo de situação deixa ainda mais evidente a necessidade de uma regulamentação das plataformas de streaming. Afinal, eles podem ter suas produções de um dia para o outro tiradas dos catálogos dos serviços sem qualquer tipo de aviso prévio. E, como na maioria dos casos, eles não possuem os direitos patrimoniais sobre as obras, não há nada que possam fazer. E, para o público, fica a decepção de procurar os conteúdos que quer ver e não encontra-los. 

Procurada por este noticiário, a Paramount preferiu não se pronunciar a respeito dos conteúdos retirados do serviço de streaming. 

Demissões no quadro global

Vale mencionar que, nesta semana, a Variety publicou que a Paramount global, em meio a uma série de discussões sobre fusões e aquisições, despediu cerca de 800 funcionários em todo o mundo – o que representa por volta de 3% do seu quadro de colaboradores – numa tentativa de reduzir custos. Entre os profissionais cortados, estão funcionários de todas as divisões da empresa – incluindo CBS, Paramount Pictures, Paramount+, Pluto TV, Showtime e os canais pagos BET, Comedy Central, Nickelodeon e MTV. 

"Esses ajustes nos ajudarão a aproveitar nosso impulso e executar nossa visão estratégica para o próximo ano – e acredito firmemente que temos muitos motivos para nos entusiasmarmos", dizia um dos trechos do memorando enviado pelo CEO Bob Bakish aos funcionários da empresa e publicado com exclusividade pelo noticiário norte-americano.

4 COMENTÁRIOS

    • Hahahahahahahaha. Esse tipo de comentário só mostra como falta o mínimo de entendimento sobre educação politica no Brasil. Imagina vc ser tão burro que escreve esse tipo de coisa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui