TV por Assinatura
02/06/2021, 20:44

GT do SeAC define temas e começa a convidar especialistas

Até o dia 25 de junho o Grupo de Trabalho do SeAC recebe contribuições da sociedade para o debate sobre a Lei do Serviço de Acesso Condicionado, especificamente sobre os temas: estrutura societária; obrigações de empacotamento de canal (must-carry); simplificação tributária; fomento; cotas e produção independente; e regulação. Diferentes entidades estão sendo chamadas a contribuir, inclusive do próprio governo. 

Conforme apurou este noticiário, nos dias 16, 17 e 24, o Ministério das Comunicações fará reuniões sobre alguns destes temas. Serão feitas conversas sobre simplificação tributária, must-carry e regulação, respectivamente. O Ministério da Economia, por exemplo, já foi convidado e será ouvido nesta ocasião.

Grupo de trabalho

O GT do SeAC, criado pelo Ministério das Comunicações em novembro do ano passado, realizou a sua primeira reunião no dia 26 de maio. O grupo deve apresentar propostas de atualização do marco jurídico da TV por assinatura, especificamente dos serviços enquadrados como Serviço de Acesso Condicionado. A Ancine não faz parte do GT, formado por órgãos vinculados ao MCom, mas também tem sua participação prevista através de contribuições.

O grupo, criado pela Portaria 1.277/2020, deverá apresentar uma proposta de atualização do marco jurídico da TV por assinatura em 90 a dias, a partir da data da primeira reunião.

Contribuições

As contribuições ao GT devem ser feitas a partir de uma ficha disponível online e enviadas para o email detel@mcom.gov.br até o dia 25 de junho.

Entre as questões balizadoras estão:
* Como criar um ambiente convergente de comunicação e radiodifusão
* Qual órgão regulador tem a autoridade para supervisionar a distribuição de conteúdo audiovisual pela Internet?
* Como adequar as definições variadas de serviços abrangidos pelo SeAC, considerando questões como barreiras de mercado, complexidade tributária, convergência tecnológica, ganhos de escala e escopo, entre outras?

Comentários

1 Comentário

  1. Avatar Paulo de Oliveira disse:

    Querem um sugestão popular? Vai a minha: acabar com as cotas de programação. Essas cotas destruíram a tv paga brasileira.

    Fora que hoje não faz o menor sentido tal obrigação, já que grande parte dos canais já produz localmente. Não precisam obrigar sob penalidade de descumprimento.

    Vamos pensar mais como 2021, sem a herança maldita?

Deixe o seu comentário!

© 1996-2021 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top