Radiodifusão
25/06/2021, 21:27

Em live, Bolsonaro e Faria destacam benefícios da MP 1.018/21 a canais religiosos

Na live do presidente Jair Bolsonaro realizada na quinta-feira, 24, o presidente e o ministro das Comunicações, Fabio Faria, parecem tentar capitalizar junto aos fiéis católicos e evangélicos a nova regra de conteúdo local nas retransmissoras de televisão.

Durante a live, Faria falou sobre a mudança na Lei do SeAC, através da MP 1.018/21, para incluir todas as 16 redes nacionais na obrigatoriedade de carregamento de retransmissoras de TV, e não apenas geradoras, entre os radiodifusores que podem exigir o carregamento de seus sinais pelas operadoras de TV por assinatura. O ministro menciona que a nova regra beneficia todas as emissoras católicas e evangélicas, "que serão carregadas no cabo sem custo". Antes, diz Faria, pagavam mensalmente R$ 1 milhão ou R$ 1,5 milhão, e agora poderão falar com muito mais gente.

A nova regra tem forte potencial de ser judicializada. Através da ABTA, as operadoras, que serão impactadas com um novo peso em seus line-ups e ainda perderão os valores cobrados de alguns canais, apontaram a inconstitucionalidade da medida.

Conteúdo local (e religioso)

O presidente Bolsonaro aproveitou ainda para falar sobre o aumento de conteúdo local nas retransmissoras de televisão instaladas em municípios situados nas regiões de fronteira de desenvolvimento do País, hoje compreendidas pela Amazônia Legal e Fernando de Noronha. Antes, o tempo total de inserção local, que incluía conteúdos jornalísticos e publicidade, deveria compreender até 15% de programação, ou seja, 3h36m, considerando um total de 24h. Além dos 15%, as retransmissoras nessas regiões poderão agora dedicar mais 3 horas diárias de serviço jornalístico e noticioso. "Isso é ser democrático com a imprensa", disse o presidente, que também buscou capitalizar destacando a possibilidade de produzir programas religiosos locais.

Faria disse que a nova regra é uma luta de 40 anos das emissoras de TV. "Desde 1962 tinha um monopólio. Acabou o monopólio!", completou Bolsonaro. 

Pesquisa divulgada na quinta pelo instituto Ipec mostra que, no eleitorado evangélico, quem lidera a corrida presidencial de 2022 é o ex-presidente Lula, que tem a preferência de 41% dos ouvidos, contra 32%, de Bolsonaro. Entre os católicos, a vantagem do petista é ainda maior (52% a 20%). A pesquisa mostrou Lula na liderança da corrida presidencial, com 49% das intenções de voto. 

Comentários

4 Comentários

  1. Avatar Juliana disse:

    Em breve teremos um FSA terrivelmente evangélico com uma Ancine terrivelmente capturada.

    Não vamos esquecer que a EBC, a TV pública, COMPROU direitos para exibir uma novela religiosa de cunho cristão da RECORD.

    Imagina se comprasse, para exibir, Tenda dos Milagres ou A Viagem, ambas da Globo, o escândalo que seria?

    Tem ou não tem um plano nisso tudo?

  2. Avatar Olímpia Campos Soares disse:

    É claro que não existe nada obscuro, é só a Globo lixo pagar o que deve aos cofres da União, tudo fica certo no lugar devido,não existe nenhuma perseguição a nenhuma religião existentes hoje no Brasil. Seja qual for. Graças a Deus este governo acabou com o monopólio.

  3. Avatar Maria Áurea Corrêa de Azevedo disse:

    Parabéns Sr Presidente, que Deus te ilumine e proteja sempre dando-lhe saúde e paz e livrando – o das garras desses inimigos ferrenhos e mentirosos.

  4. Avatar Hortência Beraldo de Novaes disse:

    Tenho muito respeito e admiração pelo nosso presidente! Achei essa live maravilhosa esclarecedora! A cada dia tenho mais certeza de que nosso presidente é uma pessoa do bem, honesta e pensa no povo, brasileiro e dá o seu melhor pelo Brasil: Deus, família e a pátria

Deixe o seu comentário!

© 1996-2021 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top