CINEMA
29/08/2018, 22:40

Moonshot Pictures lança este ano "Arigó", longa produzido com apoio do Polo Audiovisual da Zona da Mata

POR MARIANA TOLEDO, DE BELO HORIZONTE

A Moonshot Pictures estreia ainda este ano o filme "Arigó", longa rodado em Congonhas, Cataguases e Rio Novo, Minas Gerais, com o apoio do Polo Audiovisual da Zona da Mata. A obra como exemplo de oportunidades para as economias regionais e a importância da discussão de temas locais com abrangência nacional foram temas de debate durante o MAX 2018 nesta terça-feira, 28/08, em Belo Horizonte. Na ocasião, estiveram presentes Roberto D'Avila, diretor da produtora, e Monica Botelho, da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho.

Monica explicou que o Polo Audiovisual é um projeto de desenvolvimento local ancorado na indústria cinematográfica brasileira, e que este vem crescendo de maneira exponencial. "Inicialmente, o filme seria rodado só em Congonhas, mas graças a atuação do Polo ele foi levado para outras regiões do estado também.", disse. Cataguases, por exemplo, nunca havia presenciado uma produção cinematográfica tão grande. Ela ainda discursou sobre a importância da parceria com uma produtora tão renomada como a Moonshot e os benefícios econômicos que ter cidades mineiras como locação de uma filmagem deste porte proporcionam a elas.

D'Avila adiantou que o filme sobre o cirurgião espírita José Pedro de Freitas, o Zé Arigó, é uma reprodução fiel de sua história e, por isso, o ponto de partida foi Congonhas, cidade natal do médium. Em parceria com o Polo, a equipe rodou cerca de 2 mil quilômetros visitando possíveis locações até encontrar as outras duas eleitas, Cataguases, que faz as vezes de Belo Horizonte dos anos 50, e Rio Novo. O diretor enfatizou a importância do apoio local – para além do Polo e da Prefeitura – que esteve presente desde as questões de logística até literalmente dentro do filme – foram envolvidos, por exemplo, mais de 250 figurantes, moradores das cidades, nas gravações do projeto.

O filme conta a vida de Arigó e retrata desde os pequenos sinais de mediunidade presenciados na infância até a fase adulta, quando dores de cabeça, insônia, visões e vozes em outros idiomas o fizeram aceitar seu dom e dar passagem às atividades de cura, consideradas milagrosas até hoje. Dirigido por Gustavo Fernandez, o longa é produzido pela Moonshot; pela FJ Productions, de Fabio Golombek; e pela The Calling Production, de James Guyer. O roteiro é de Jaqueline Vargas e, a distribuição, da Imagem Filmes. O papel do protagonista é do ator Danton Mello e no elenco está ainda Juliana Paes como Arlete, esposa de Arigó, além de Marcos Caruso, Alexandre Borges, Marco Ricca e Carlos Meceni.

Comentários

1 Comentário

  1. Mais uma grande homenagem ao Paranormal do século!! @zearigó @cacafantasmasbrasil

Deixe o seu comentário!

© 1996-2018 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top