Radiodifusão
12/05/2021, 21:53

Fabio Faria não enxerga conflito de interesse em ser ministro das Comunicações e genro de radiodifusor

Na audiência pública que aconteceu nesta quarta-feira, 12, na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, Fabio Faria disse que sentia orgulho de ser genro do empresário Silvio Santos, dono do canal de televisão SBT, e que jamais faria algo fora da lei para favorecer o sogro, já que não enxerga conflito de interesses em ele ser titular da pasta de fiscaliza os canais de televisão e destina publicidade para estes veículos.

Faria fez a afirmação em uma resposta à pergunta do deputado Leo de Brito (PT-AC), que o questionou se Faria não se sentia desconfortável em ser genro de um radiodifusor e está ocupando o a titularidade do ministério de fiscaliza as outorgas e destina recursos publicitários para meios de comunicação.

"E eu jamais faria algo fora da lei. E o Silvio Santos jamais me pediria para fazer algo fora da lei. Eu não tenho vejo conflito de interesses porque sou casado com separação total de bens. Não sou sócio do SBT", afirmou Faria ao deputado Leo de Brito.

Faria disse ainda que a pasta organiza de maneira detalhada o que sai de publicidade para cada emissora, e que tem reuniões com a corte de conta e com radiodifusores transmitidas ao vivo, o que significa um procedimento de transparência na destinação de publicidade.

"Aqui nada sai de forma direcionada para emissora A ou B. O TCU não vai perder tempo trabalhando checando o que sai para cada emissora. Inclusive, todas as nossas reuniões com o TCU e emissoras são públicas", confirmou.

O deputado Leo de Brito perguntou ainda se Fabio Faria concordava com parlamentares serem donos de canais de televisão. Faria disse que não concordava, que via nisso uma ilegalidade. "Sobre deputado ser dono de rádio, não pode. Inclusive, eu tinha participação em uma rádio no interior do meu estado e saí da sociedade. Eu não sou sócio de nenhuma rádio", afirmou.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2021 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top