Resultados
28/10/2011, 18:08

Operação brasileira da América Móvil registra queda de 7% no EBITDA

POR REDAÇÃO

A América Móvel divulgou nesta sexta-feira, 28, os resultados financeiros e operacionais do terceiro trimestre. Um dos principais destaques do relatório foi o desempenho do Brasil, que viu seu EBITDA, de R$ 1,5 bilhões, cair 7% em relação a igual trimestre do ano passado. A receita, no entanto, cresceu 7,3% e totalizou US$ 3,3 bilhões (R$ 5,7 bilhões), 26 % do faturamento da holding no trimestre, de US$ 12,8 bilhões. Com isso, a participação do País no negócio da América Móvil recuou 1% em relação a igual período anterior.

A queda do EBITDA no Brasil, segundo a holding, foi motivada por diversos fatores locais, como o aumento do custo de aquisição de assinante das operações de TV por assinatura (Via Embratel), expansão territorial e aumento da capacidade das redes fixas e móveis em várias cidades, incluindo São Paulo, ampliação das estruturas de atendimento (call-center) da Claro, Embratel e Via Embratel, além do custo de programação de TV por assinatura.

Claro

A Claro foi a empresa com maior faturamento nas operações brasileiras da América Móvil. Com um crescimento de 7,1% em relação ao terceiro trimestre de 2010, a operadora móvel faturou R$ 3,1 bilhões entre julho e setembro de 2011, 55% da receita brasileira. Além disso, a operadora adicionou 2 milhões de acessos pós-pagos à sua base, que encerrou setembro com 57,5 milhões de assinantes, 17,9% a mais que igual período de 2010. O crescimento da base pós-paga, de 29%, representou o dobro do desempenho da base pré-paga. Ampliação da cobertura territorial e melhoria dos serviços de dados foram os principais motivos apontados pela América Móvil para a boa performance. A receita da banda larga móvel cresceu 25,6%, enquanto a da fixa subiu 3,6%.

Via Embratel

O desempenho da Via Embratel também foi comemorado pela holding mexicana, que viu o número de assinantes da operadora de TV por assinatura praticamente dobrar para mais de 2 milhões em relação ao último ano.

Comentários

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

© 1996-2019 Save Produções Editoriais. Todos os direitos reservados.
Top